Exigida gestão pública para hospitais das Misericórdias

O Bloco de Esquerda e o PCP apresentam na sexta-feira projetos de resolução, nos quais exigem a manutenção da gestão pública dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde, que funcionam em edifícios das Misericórdias.

Lembrando que o Governo já anunciou publicamente a intenção de entregar às misericórdias os hospitais públicos do SNS, estes dois partidos opõem-se a tal decisão, considerando que fica comprometida a prestação pública de cuidados de saúde às populações.

O Bloco de Esquerda recorda que o Estado investiu nestas unidades de saúde, dotando-as de condições técnicas, físicas e materiais para a prestação de serviços públicos de saúde, assinalando não ver "qualquer vantagem para o Estado, na entrega da gestão destes hospitais às Misericórdias, concessão que obviamente terá custos elevados para o Estado".

Também o PCP refere que o Governo não apresentou "nenhuma argumentação válida para justificar esta decisão", e sublinha que "não há evidência de que as Misericórdias tenham um modelo de gestão mais eficaz", nem uma capacidade financeira que permita manter os cuidados de saúde que atualmente são prestados.

"A única motivação do Governo será eventualmente a redução de custos", considera o PCP, para quem "o que se pretende é avançar com um processo de privatização encapotado destes hospitais".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG