Espião detido em Roma já está em Lisboa

Frederico Carvalhão Gil, do Serviço de Informações de Segurança, foi escoltado por inspetores da PJ

O espião português detido há dias em Roma chegou há minutos a Lisboa, concluindo-se o processo da sua extradição pelas autoridades italianas.

À espera de Frederico Carvalhão Gil, agente do SIS detido há dias na companhia de um espião russo a quem vendera documentos classificados a troco de 10 mil euros, estavam inspetores da PJ que o escoltaram até às instalações onde ficará detido.

Carvalhão Gil é ouvido segunda-feira no Tribunal Central de Investigação Criminal, em Lisboa, pelo juiz Ivo Rosa.

O espião é suspeito da prática dos crimes de espionagem, corrupção e violação do segredo de Estado, conforme informação dada pela PJ aquando do anúncio da sua detenção, no passado dia 23 de maio. Aa investigação envolveu o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo (UNCT) da PJ, que deslocou investigadores a Itália, e a EUROJUST.

Documentos classificados da NATO e da UE estão entre os que foram apreendidos pelas autoridades portuguesas e italianas na posse de Carvalhão Gil.

Além de se saber que documentos e desde quando eram entregues a Moscovo por Carvalhão Gil, outra das questões em aberto reside em perceber como lhe foi possível retirar documentos classificados das instalações onde estão sediados os serviços de informações, dadas as regras de segurança vigentes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG