Enfermeiros continuam a emigrar para o Reino Unido

Os enfermeiros portugueses continuam interessados em trabalhar no Reino Unido, após o referendo que aprovou a saída da União Europeia (Brexit)

Em dois meses, de setembro a novembro de 2016, entraram em funções no Reino Unido 461 enfermeiros de nacionalidade portuguesa, conta a edição de hoje do Jornal de Notícias.

O número representa quase metade das inscrições recebidas pelas entidades britânicas no ano imediatamente anterior. Significa que o interesse dos profissionais de saúde portugueses em trabalhar em Inglaterra se mantém, ainda que as vagas de emigração sejam mais reduzidas. A mesma notícia recorda que de setembro de 2015 a setembro de 2016 registaram-se no Conselho de Enfermagem e Obstetrícia (NMC) britânico 1025 enfermeiros, apesar das notícias recentes darem conta de uma quebra nas candidaturas de estrangeiros naquele país.

Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, garantiu ao Jornal de Notícias que continua a existir interesse no Reino Unido. Mas desde que o regulador britânico tornou obrigatória a aprovação do exame de inglês IELTS (International English Language Testing System) para aceitar a inscrição, explica, há quem desista. "A fasquia que o NMC impôs ao exame é ridícula. Mais vale dizerem que não querem acolher mais enfermeiros estrangeiros, e isso não tem só a ver com os portugueses", sublinhou Ana Rita Cavaco, que atribui esta medida ao Brexit.

Mais Notícias