Eliminar feriados religiosos "não é prioridade"

O porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), Manuel Morujão, disse hoje, em Fátima, que não é urgente o processo de eliminação dos feriados religiosos.

Manuel Morujão sustenta que "não se vê neste assunto do calendário uma urgência" - "não se trata de uma prioridade que tenha de ser resolvida depressa", disse -, reafirmando que os feriados propostos pela Igreja Católica são o Corpo de Deus (a 07 de junho, em 2012) e o Dia de Todos os Santos (01 de novembro).

Sobre as declarações de monsenhor Fabio Fabbri - com responsabilidades no Vaticano -, que à TSF defendeu, na terça-feira, que "não se pode deitar fora" o feriado do 01 de novembro, a "festa da família", e questionou os motivos "por que se atacaria a celebração da Assunção de Maria" (15 de Agosto), o porta-voz da CEP salientou que se trata de "uma opinião pessoal" e "não oficial".

Manuel Morujão reafirmou que qualquer posição oficial "sairá das conversações entre o Vaticano e o Estado português".

O porta-voz da CEP lembrou que é consensual a eliminação do feriado do Corpo de Deus - uma das sugestões da Conferência - e defendendo de novo a ideia de que este feriado não deve ser suprimido já este ano, uma vez que "já existem atividades em agenda, quer ao nível civil, quer ao nível religioso".

Quanto ao segundo feriado proposto pela Igreja Católica Portuguesa, Manuel Morujão ressalvou que O Dia de Todos os Santos continuará a ser assinalado a 01 de novembro, mantendo-se assim o calendário litúrgico.

Ao mesmo tempo, a confirmar-se a eliminação do feriado, "isso não pode significar, de maneira nenhuma, menos afeto para com as pessoas que fazem parte da nossa família e da nossa amizade e que já ultrapassaram a fronteira da vida terrena, mas que continuamos a venerar e conservar nos nossos corações e os crentes a viver em comunhão de oração com eles", concluiu o padre Manuel Morujão.

As declarações foram feitas no penúltimo dia de trabalhos da Assembleia Plenária da CEP, que reúne em Fátima os bispos portugueses, desde segunda-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG