Ministro garante que não foi pressionado por Eduardo Barroso

O ministro da saúde, Adalberto Campos Fernandes, garantiu que não houve pressão sobre o ministério para que não aceitasse um dos nomes que faria parte da nova administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central, do qual faz parte o São José.

Depois da demissão do conselho de administração, após a morte de um jovem por falta de cirurgia, o nome de Francisco Ramos, atual administrador do IPO de Lisboa, chegou a ser avançado como o do novo presidente do São José. Notícias posteriores diziam que o recuo na aceitação do convite se deu porque o médico Eduardo Barroso não teria concordado com um dos nomes da equipa.

"O Ministério da Saúde não é sensível a nenhuma futebolização da política de saúde. O doutor Eduardo Barroso não fez nenhuma pressão sobre o Ministro da Saúde. Convidei o doutor Francisco Ramos para liderar o Lisboa Central, cargo que aceitou. Houve uma tentativa de constituir uma equipa, fez convites e um deles terá suscitado alguma polémica. O doutor Francisco Ramos considerou difícil encontrar uma equipa estável e retirou a disponibilidade, o que compreendi", explicou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG