Descendente de judeus acusado de fazer saudação nazi

Elemento do corpo da guarda prisional da Carregueira e mais quatro colegas foram ouvidos num processo de inquérito relativo à manifestação de 6 de março

Indignado. Foi desta forma que um guarda prisional da prisão da Carregueira, em Sintra, com três gerações na família que professaram o judaísmo, ficou quando o instrutor do processo de inquérito lhe leu a acusação: no dia 6 de março, durante a manifestação de polícias em frente ao parlamento, o guarda foi fotografado a fazer uma saudação nazi.

O Sindicato Independente da Guarda Prisional (SIGP) confirmou ao DN a existência dos processos de inquérito em curso, classificando a acusação da Direcção geral dos Serviços Prisionais como absurda e prometendo agir criminalmente contra quem a proferiu.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG