Deputados do PSD não foram convidados para comemorações do 1.º de Dezembro

"É muito fácil criticar hoje, difícil era tomar opções em 2012", alegou Luís Montenegro, destacando que a reposição dos feriados estava prevista para o ano de 2017 e que o Governo socialista de António Costa apenas a antecipou um ano.

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, afirmou esta sexta-feira que o seu grupo parlamentar não foi convidado para marcar presença na cerimónia de comemoração do 1.º de Dezembro, um dos feriados repostos pelo Governo Socialista de António Costa.

"Não fomos convidados. O grupo parlamentar do PSD não recebeu nenhum convite", apontou.

À entrada para a sessão de tomada de posse dos órgãos concelhios do PSD de Vouzela, Luís Montenegro sublinhou que hoje em dia é muito fácil criticar a suspensão de feriados levada a cabo pelo Governo PSD/CDS-PP.

"É muito fácil criticar hoje, difícil era tomar opções em 2012", alegou, destacando que a reposição dos feriados estava prevista para o ano de 2017 e que o Governo socialista de António Costa apenas a antecipou um ano.

Aos jornalistas, Luís Montenegro frisou ainda que nunca pretenderam acabar com os feriados e que a decisão de suspensão dos feriados não foi tomada de ânimo leve.

"Fizemos isto porque fomos obrigados por um Memorando de Entendimento, assinado pelo Partido Socialista e que o PSD e o CDS/PP, quando foram para o Governo, se comprometeram a cumprir", acrescentou.

No entender do líder parlamentar do PSD, se hoje o país tem condições para a reposição dos feriados, "foi porque alguém fez o percurso de recuperação".

"Andamos de cara levantada na rua porque sabemos que fizemos o que o país precisava. Todos, incluindo o Presidente da República, para ser mais direto, deviam saber que em 2012 as opções que tomámos não foram de ânimo leve, nem essa", concluiu.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG