Defesa de ex-espião "chocada" com decisão de Passos

A recusa do primeiro-ministro em permitir o levantamento do segredo de Estado pedido pelo ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED), para se defender das acusações de que é alvo, é considerada "particularmente chocante" pelos advogados de defesa de Silva Carvalho.

O ex-super-espião está acusado dos crimes de corrupção passiva, abuso de poder e acesso ilegítimo a dados pessoais.

Em comunicado, Nuno Morais Sarmento e João Medeiros, lembram que o pedido foi feito " na estrita e absoluta medida do necessário à defesa das imputações penais que foram feitas pelo Ministério Público ao Dr. Jorge Silva Carvalho".

Os advogados lamentam a decisão "por ter na sua génese dois pesos e duas medidas". Por um lado, explicam "autorizou-se o levantamento do Segredo de Estado quando se tratou de permitir ao Ministério Público proceder à investigação, mas nega-se ao visado da investigação o direito de se defender das acusações que lhe são feitas".

Nuno Morais Sarmento e João Medeiros sublinham que Jorge Silva Carvalho se vê "impedido de provar a inocência que desde a primeira hora reclamou e continua a reclamar", deixando claro que a recusa de Passos Coelho, é para o ex-diretor do SIED "o pior de dois mundos: impedido de repor a verdade em toda a sua extensão, ou vai a julgamento coarctado nos seus direitos de defesa, ou não pode ser julgado mas fica irremediavelmente condenado no Tribunal da opinião pública".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG