Cristas promove a vices Adolfo Mesquita Nunes e Cecília Meireles

Nuno Melo, que esteve muito perto de ser o sucessor de Paulo Portas, mantém-se na cúpula e será o número dois de Assunção Cristas

As listas da constituição dos futuros órgãos nacionais do CDS ainda não foram apresentadas oficialmente, mas há vários nomes já citados nos bastidores e confirmados oficiosamente. A comissão politica nacional, será reduzida para metade, de oito para quatro vice-presidentes, três deles do núcleo duro de Paulo Portas: Nuno Melo, Nuno Magalhães e Adolfo Mesquita Nunes. O quarto nome é o da deputada Cecília Meireles.
Outro nome forte da direção de Portas, e que chegou também a ser apontado para a corrida à sucessão, é João Almeida é o escolhido para porta-voz da voz do partido, lugar até aqui ocupado por Filipe Lobo d'Ávila. Deixam assim de ser vice-presidentes, Teresa Caeiro, Diogo Feio e Pedro Mota Soares. Feio sera, no entanto, anunciou Cristas, o coordenador do gabinete de estudos do CDS.
João Almeida, Adolfo Mesquita Nunes e Cecília Meireles subscreveram uma moção em conjunto, na qual também está Ana Rita Bessa que sobe a Comissão Executiva do partido.
Da equipa que tem estado mais próxima de Assunção Cristas, João Rebelo volta à comissão política, bem como Teresa Anjinho, que foi excluída das listas a deputados na anterior legislatura.
Pedro Morais Soares será o novo secretário-geral do CDS, substituindo António Carlos Monteiro.

Mais Notícias