Conhecer o túnel a pé, a correr ou de bicicleta e a única vez sem pagar 

A festa para quem quis ver e conhecer "sem pagar" o maior túnel rodoviário da Península Ibérica, com quase seis quilómetros.

A curiosidade de atravessar pela primeira vez o Túnel do Marão a pé, a correr ou de bicicleta levou esta manhã centenas de pessoas à serra que, a partir de agora, será mais fácil e segura de atravessar.

A Autoestrada do Marão - Túnel do Marão liga os concelhos de Amarante e Vila Real e é inaugurada esta tarde pelo primeiro-ministro, António Costa.

Carlos Valente subiu à serra atraído pela curiosidade, pela causa solidária e também para aproveitar para treinar para uma meia maratona.

Antes, a expectativa era muita e, depois de atravessar o túnel e de regressar à boca do lado de Vila Real, disse que a experiência foi "fantástica".

Foi o primeiro corredor a "cortar a meta" e disse que demorou 42 minutos a fazer o percurso de 12 quilómetros, de ida e volta.

Ricardo Pereira optou por fazer a travessia de bicicleta, mas aproveitou para fazer uma espécie de protesto contra os "longos" sete anos que a obra demorou a ficar concluída e as portagens "abusivas" que vão ser cobradas nesta autoestrada, dos 1,95 euros para veículos classe 1 até aos 4,90 euros para veículos de classe 4.

"Vim marcar presença, ver a obra e também mostrar um pouco da indignação pelo facto de o túnel ter demorado tanto tempo, quando se podiam ter evitado tantas mortes", salientou este ciclista.

A nova autoestrada apresenta-se como alternativa ao sinuoso Itinerário Principal 4 (IP4), onde, entre 1996 e 2015, só na área dos concelhos de Amarante e Vila Real, perderam a vida 136 pessoas.

Enquanto Ricardo Pereira se preparava para iniciar a viagem pelo túnel, já António Barros estava a regressar.

"A experiência foi espetacular. Depois de muito tempo e de tantos anos de espera eis que surge o túnel para podermos fazer a passagem para o Porto", salientou este ciclista à agência Lusa.

Dentro do túnel, António Barros disse que o percurso se fez bem, mas que encontrou mais vento do que estava à espera, principalmente na descida, já quando se aproximava da boca do lado de Amarante.

"É com imenso prazer que venho fazer esta travessia pela primeira vez e é a única vez grátis", frisou.

Segundo dados da câmara de Vila Real, participaram nesta iniciativa cerca de 700 caminheiros, 100 corredores e 160 ciclistas.

A quem participou foi pedido um donativo e bens alimentares que serão, depois, entregues a instituições particulares de solidariedade social.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG