Confissão de suspeito à PJ não terá validade em tribunal

Daniel remeteu-se ao silêncio perante o juiz de instrução, a confissão feita à polícia sobre a morte de Filipe não será usada em julgamento. Mãe criticou-o no Facebook.

Calado. Foi assim que Daniel Neves, 17 anos, se manteve durante as cerca de quatro horas de interrogatório judicial, que decorreu na sexta-feira. O jovem de Salvaterra de Magos foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado e profanação de cadáver de Filipe Costa, de 14 anos. O silêncio perante o juiz faz que a eventual confissão do crime que tenha feito à Polícia Judiciária não possa ser usada em julgamento. Daniel está, desde sexta-feira, preso preventivamente.

O juiz de instrução de Santarém considerou o suspeito como fortemente indiciado da autoria material do homicídio, considerando, como razões para o colocar em prisão preventiva, existirem perigos de fuga, de perturbação do inquérito e, "em razão da natureza e das circunstâncias do crime e da personalidade do arguido, que este continue a atividade criminosa e ocorra perturbação grave da tranquilidade pública".

Terá sido na noite da passada segunda para terça-feira que Daniel terá matado Filipe com uma barra de ferro. Ambos os jovens estavam numa festa em Salvaterra de Magos. Daí seguiram para um apartamento na mesma vila, do qual Daniel tinha a chave, uma vez que já tinha morado aí com o seu padrasto. O que aconteceu dentro do imóvel continua um mistério para os investigadores da Unidade Nacional Contra Terrorismo da Judiciária, que têm investigado o caso, sobretudo quanto ao motivo que levou o rapaz de 17 anos a matar o mais novo.

Na terça-feira às 14.29, Daniel apelou para que todos procurassem Filipe, dado como desaparecido na madrugada anterior. Na publicação, o rapaz, agora detido por suspeitas de ser o autor do crime, escreveu: "Podia ser teu irmão, este rapaz tem uma mãe desesperada à procura dele, qualquer informação liguem para o número da foto ou então podem ligar para o meu, que eu transmito toda a informação que possível, vá lá pessoal." O texto está acompanhado da fotografia de Filipe e o contacto da mãe deste.

O Facebook serviu também para que a mãe do rapaz de 17 anos partilhasse na sexta-feira ao final da tarde um texto em que refere estar de luto e anuncia que não vai apoiar o filho neste momento.

São palavras duras as que a mãe de Daniel publicou. Depois de mudar a sua foto de perfil para um laço preto que refere "Luto Meus Sentimentos!", a mãe do suspeito pediu desculpa aos familiares e amigos de Filipe pelos atos que o filho terá cometido. "Neste momento estou de luto, enterrei um pedaço de mim que não consigo entender como pode fazer tamanha crueldade, Deus me perdoe o que vou dizer, o meu filho morreu, o que fez vai ter de pagar e sozinho, pois não posso acompanhá-lo nesta etapa." Acrescenta ainda que toda a situação "é um desgosto muito grande, um pesadelo, a minha vida acabou, preferia mil vezes que ele estivesse no lugar do Filipe".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG