Combate à fraude no RSI permite poupar 70 milhões

O ministro da Solidariedade e da Segurança Social revelou hoje que o maior controlo e combate à fraude, relativamente ao Rendimento Social de Inserção (RSI), permitirá poupar 70 milhões de euros.

"Um conjunto de novas regras que tomámos relativamente ao RSI, que têm a ver com um maior controlo, maior combate à fraude, maior combate ao excesso, dá-nos uma estimativa de poupança de cerca de 70 milhões de euros nesta prestação, que é curiosamente o mesmo valor que precisamos para fazer um aumento das pensões mínimas, das pensões sociais e das pensões rurais", afirmou Pedro Mota Soares.

O ministro, que falava aos jornalistas após ter participado num debate promovido pelo International Club of Portugal, criticou a anterior legislação sobre o Rendimento Social de Inserção que permitia que famílias com 100 mil euros de património mobiliário recorressem àquele subsídio.

A edição de hoje do jornal Público noticia que o RSI foi retirado a 250 famílias por terem mais de 100 mil euros no banco.

"A verdade é que a lei permitia que isso acontecesse", disse Pedro Mota Soares.

"Entendemos que, neste tempo que é um tempo de dificuldades, não fazia sentido que alguém que tem 100 mil euros no banco pudesse receber RSI. Baixámos esse valor de uma forma muito considerável para 25 mil euros e, portanto, admito que no futuro possa vir a acontecer até mais", sublinhou o governante.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG