Ciclo de conferências debate a cidade contemporânea

Um ciclo de sete conferências intitulado LISBOA XXI vai promover na capital, entre 14 de fevereiro e 31 março, uma reflexão crítica em torno da natureza do território cidade e da configuração da cidade contemporânea.

Organizada pelo ISCTE-IUL (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa) no âmbito da unidade curricular 'Lisboa: ruturas e continuidades', a iniciativa "pretende afrontar o futuro de Lisboa, nas vertentes da sustentabilidade, da morfologia urbana, da habitação, da síntese das artes, da história da cidade e da música", indica a instituição em comunicado.

Cada uma das conferências é subordinada a um tema: a primeira, 'Sustentar', será proferida a 14 de fevereiro pelo arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles, especialista nas questões do ordenamento do território e do uso da terra em Portugal.

A segunda, 'Pensar', no dia 28 de fevereiro, estará a cargo de Filipe Balestra, um jovem arquiteto que apresentou como trabalho de fim do seu mestrado, em Estocolmo, o projeto de uma escola na Rocinha, a maior favela do Rio de Janeiro, a que chamou 'Sambarquitetura' - um trabalho que serviu de ponte para ser convidado pela organização não-governamental indiana SPARC, que atua em bairros da lata, para construir um bairro 'low-cost' para 1.200 famílias indianas.

O orador da terceira conferência, intitulada 'Traçar' (06 de março), será Manuel Teixeira, que trabalha como 'business architect analyst" e consultor em Planeamento Estratégico e 'Balanced Scorecards', explorando nas suas pesquisas novas metodologias para abordar a gestão estratégica e as alterações ambientais, com o objetivo de as melhorar.

A 13 de março, o tema é 'Habitar' e a conferência será proferida pela arquiteta Teresa Madeira da Silva, professora auxiliar do departamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Tecnologias e Arquitetura do ISCTE-IUL.

Sobre 'Azulejar', falará, a 20 de março, Ana Almeida, investigadora da Rede Temática em Estudos de Azulejaria e Cerâmica João Miguel dos Santos Simões e mestre em Museologia e Museografia pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, com a tese 'Da Cidade ao Museu e do Museu à Cidade: Uma Proposta de Itinerário sobre Azulejaria de Autor na Lisboa da Segunda Metade do Século XX'.

'Revelar' é o tema da sexta conferência, a 27 de março, por Paula André, professora coordenadora de diversas unidades curriculares em mestrados do ISCTE, como o integrado em Arquitetura, História Moderna e Contemporânea e o mestrado em Museologia. É também membro associado do Centro de Estudos sobre a Mudança Socioeconómica e o Território (DINÂMIA-CET), bem como da equipa do Laboratório da Habitação (LAB HAB, ISCTE-IUL), da direção do Centro de Estudos Urbanos (CEURBAN), do Instituto de História da Arte e do Portuguese Network of Urban Morphology.

As conferências decorrerão sempre às terças-feiras, pelas 17:30, no Auditório B 204 do ISCTE, exceto a última, que se realiza a um sábado, 31 de março, às 16:00 no Museu do Fado e cujo orador não foi ainda anunciado.

A entrada é livre mediante inscrição em http://bit.ly/LISBOAXXI.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG