Cerca de 150 pessoas resgatadas em Campo Maior

Cerca de 150 pessoas de Campo Maior (Portalegre), que se encontravam acampadas junto ao rio Xévora, estão a ser resgatadas pelas autoridades, após a subida do caudal, disse hoje à agência Lusa o presidente do município.

"As pessoas, entre as quais crianças, estão isoladas, mas ninguém corre perigo de vida. Muitas destas pessoas perderam tudo no acampamento e por isso estão mais afetadas com o sucedido", relatou Ricardo Pinheiro.

Anualmente, na época da Páscoa, as populações do concelho de Campo Maior deslocam-se para o campo, para junto da Ermida de Nossa Senhora da Enxara, junto à aldeia de Ouguela, onde realizam vários festejos de caráter religioso, permanecendo naquele lugar durante vários dias.

A subida do nível da água no Rio Xévora, poderá ter sido provocada por descargas na barragem de Abrilongo e devido à chuva forte que está a assolar aquela região alentejana.

Nas últimas horas, o pontão de circulação rodoviária ficou submerso, deixando isoladas cerca de 150 pessoas.

"As pessoas não conseguem chegar à igreja e nós estamos a efetuar o resgate com veículos todo o terreno, a partir do lado de Albuquerque, em Espanha, pois do nosso lado as vias estão intransitáveis", relatou.

De acordo com o autarca, desde Espanha até aquele local as viaturas têm que percorrer "vários quilómetros, entre ribeiros".

Ricardo Pinheiro acrescentou ainda que as autoridades não vão proceder ao resgate de todas as pessoas que se encontram no local, uma vez que existem "vários grupos" que querem permanecer naquele lugar e "esperar" que os caudais baixem.

Em declarações à Lusa, Maria Cordeiro, de 70 anos, relatou que costuma frequentar aquela romaria "desde sempre" e que "nunca" tinha assistido a uma situação deste tipo.

"Estou muito nervosa, as barracas estão todas afundadas, não temos nada", lamentou.

Maria Cordeiro acrescentou ainda que, quando se apercebeu que as águas estavam a subir, refugiou-se num ponto alto para se "salvar".

Além dos meios do município que estão a efetuar o resgate, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre indicou à Lusa que estão no terreno 23 elementos de cinco corporações de bombeiros (Campo Maior, Alter do Chão, Gavião, Nisa e Sousel), auxiliados por 10 viaturas e um barco.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG