Temporal provoca morte de uma mulher e faz seis feridos

O temporal que hoje se fez sentir em Celorico de Basto provocou um morto e seis feridos. O local mais afectado foi a freguesia de Fervença, onde decorria a procissão de Nossa Senhora do Calvelo.

Contactado pelo DN , o comandante dos Bombeiros Voluntários de Celorico de Basto, o António Marinho Gomes, confirmou a morte de uma mulher entre os 45 e os 50 anos (devido à queda da estrutura de um palco em cima dela) e a existência de seis feridos. "Têm entre 18 e 50 anos. E são vítimas ligeiras que não inspiram cuidados", referiu o comandante, adiantado, no entanto, que algumas necessitaram de cuidados médicos. Assim, duas das vítimas foram para o Hospital de Guimarães, outras duas para o Centro de Saúde de Celorico de Basto e as restante duas não necessitaram de cuidados hospitalares e foram para casa.

O temporal ocorreu na freguesia de Fervença (concelho de Celorico de Basto), tendo tido início pelas 18.50, altura em que estava a terminar a procissão em honra de Nossa Senhora do Calvelo (festa que que se realiza no terceiro domingo de Agosto). Segundo o comandante, a tempestade terá durado à volta de 15 minutos. "Foi um quarto de hora com chuva muito intensa, queda de granizo com bolas que chegavam a ter o tamanho de ovos e vento muito forte que foi o principal responsável pelos danos", frisou o Marinho Gomes, especificando que o vendaval arrancou árvores e postos de iluminação em madeira que se destinava a iluminar o recinto da festa. Os feirantes presentes na romaria, viram as tuas tendas totalmente destruídas e alguns carros ficaram também danificados. "Os maiores danos registaram junto ao palco das festas", disse o comandante. Foi aliás a queda da estrutura que levou à morte imediata da mulher.

O comandante encontrava-se no recinto da festa mas activou de imediato os meios de socorro tidos como necessários. No local estiveram quatro ambulâncias dos Bombeiros de Celorico de Basto, um carro de desencarceramento e outro de apoio. Esteve também presente o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), com duas ambulâncias e uma VMER.

A esta altura, o vento acalmou, mas os relâmpagos e a chuva ainda se fazem sentir.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG