Ameaças de bomba na câmara e Santa Casa da Misericórdia

Telefonemas anónimos e uma mensagem de voz para o telemóvel do deputado municipal Carlos Pessoa a ameaçar a detonação de um engenho explosivo nos edifícios do Município e da Santa Casa da Misericórdia de Cantanhede motivaram a intervenção da GNR local, que evacuaram a autarquia e um lar.

Foram cerca de 700 pessoas que tiveram de ser retiradas, perto de 600 do lar da Santa Casa da Misericórdia e cerca de uma centena de funcionários da Câmara Municipal de Cantanhede.

Um funcionário da autarquia recebeu uma chamada anónima a indicar que uma bomba explodiria na sede da autarquia às 17.30. Chamadas as autoridades, os imóveis foram evacuados e a zona isolada.

Neste momento, seis ruas estão fechadas ao trânsito, tendo a acção da equipa de detecção de minas e armadilhas sido suspensa por momentos, durante o período considerado crítico, pouco antes e depois da hora para a qual foi anunciada a deflagração.

O telefonema dava conta da provável detonação do engenho no espaço de quatro horas. Alguns populares comentavam que a ameaça devia tratar-se de uma brincadeira de alguém descontente com o facto de não lhe ter sido concedida tolerância de ponto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG