Casos de gripe suína "são todos importados"

Neste momento são quatro casos confirmados em Espanha, três na Alemanha, cinco no Reino Unido e um caso na Áustria. Francisco Jorge esclareceu que são todos “casos importados”. Ou seja, não há cadeias de transmissão.

O director geral de saúde confirmou, esta manhã, na Assembleia da República que a criança internada no Hospital São João, no Porto, provavelmente não tem o vírus H1N1.

Francisco Jorge esclareceu que são todos “casos importados”. Ou seja, não há cadeias de transmissão.

Fazendo uma analogia, o director geral de saúde lembrou que em Portugal  “temos 800 casos de paludismo por ano e são todos importados”.

O director-geral da Saúde reiterou que até ao momento não há qualquer caso confirmado da doença em Portugal, mas sublinhou que estas palavras "são válidas hoje e à hora" em que as profere.

Garantiu ainda "total transparência" na difusão de informação sobre a gripe, lembrando que as epidemias não se controlam sonegando informação.

Por outro lado, Francisco George defendeu que não se deve falar em "casos suspeitos" nem se deve usar a expressão "gripe suína", estando para breve o "baptismo" desta nova estirpe.

Neste momento são quatro casos confirmados em Espanha, três na Alemanha, cinco no Reino Unido e um caso na Áustria.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou no sábado para o "potencial pandémico" do novo vírus da gripe suína, que teve teve origem na estirpe animal do vírus H1N1.

O vírus - raro segundo as autoridades sanitárias - transmite-se de pessoa para pessoa, tendo sido descoberta uma fonte de transmissão aviária, duas suínas e uma humana.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG