Cartas de condução deverão ser emitidas em apenas cinco dias

(ATUALIZADA) Das 260 mil cartas de condução que estavam em atraso, cerca de 100 mil foram emitidas no último mês. Mas o IMT "já tem capacidade neste momento" para emitir cartas de condução em cinco dias.

O Instituto de Mobilidade e Transportes (IMT) já tem capacidade para começar a emitir cartas de condução em apenas cinco dias, desde que o utente disponibilize assinatura e fotografia digitalizadas.

O IMT deu a garantia esta terça-feira de manhã ao Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP), numa reunião acerca dos grandes atrasos na emissão de cartas de condução e de matrículas de automóveis, contou ao Diário de Notícias o secretário-geral do SINTAP, José Joaquim Abraão.

Os atrasos na emissão das cartas de condução estão a obrigar os trabalhadores do instituto a muito trabalho suplementar, esforço que permitiu que, das 260 mil cartas de condução cuja emissão estava a sofrer atrasos, cerca de 100 mil já tenham sido emitidas, disse o secretário-geral.

José Joaquim Abraão acrescentou que se estima que os restantes casos de cartas em atraso fiquem resolvidos no próximo mês e meio ou dois meses. O sindicalista sublinhou que o trabalho suplementar realizado vai ser pago já este mês.

O IMT "já tem capacidade neste momento" para emitir títulos de condução em cinco dias, afirmou José Joaquim Abraão, que espera que a implantação dessa medida ajude a regularizar a situação dos trabalhadores do instituto, embora não saiba ainda quando esse método de emissão de títulos vai ser implementado.

João Carvalho, presidente do IMT, confirmou esta tarde à Lusa a capacidade do organismo em emitir cartas de condução em cinco dias e que dentro de dois a três meses o processo estará em funcionamento. Para já, a prioridade passa por regularizar a emissão de cerca de 180 mil cartas de condução em atraso, o que poderá demorar mais de um mês.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG