Cardeal Patriarca considera os atentados uma tragégia

O cardeal-patriarca de Lisboa considerou que os atentados são uma tragédia "para todos"

O cardeal-patriarca de Lisboa considerou este sábado que os atentados de sexta-feira à noite, em Paris, constituem uma tragédia para a capital francesa e para todos, pelo sentimento de insegurança que provocam nas pessoas, mas apelou à serenidade.

"Temos de ter serenidade, bem conscientes da gravidade da situação e fazendo tudo para, sem alarmismos exagerados nem precipitações de ação, enfrentarmos esta situação e a resolvermos o melhor possível como sociedade", sustentou D. Manuel Clemente, numa breve declaração à agência Ecclesia.

Referindo não ser a primeira vez que acontecem tragédias destas e aludindo aos ataques às Torres Gémeas, em Nova Iorque, D. Manuel Clemente considerou, no entanto, que os ataques em França se revestem de "algum ineditismo", ao atingirem "o coração cultural" da "Europa contemporânea em que vivemos".

O cardeal-patriarca insiste, no entanto, na serenidade, por considerar que "acontecimentos deste género são muito propícios a movimentos extremistas de um lado e de outro".

"E, por isso mesmo, temos de prevenir situações deste género e depois enfrentá-las com serenidade, para não pôr em causa valores essenciais da democracia e da paz", frisou.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou hoje, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 128 mortos, entre os quais um português, e 300 feridos, 80 em estado grave.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG