Caminhos portugueses de Santiago têm mais peregrinos

A Associação Confraria de São Tiago "Espaço Jacobeus" anunciou hoje que os Caminhos Portugueses a Santiago de Compostela, Galiza, registaram nos oito primeiros meses deste ano o maior crescimento entre todos os itinerários de peregrinação a Santiago.

"De facto", sublinha a associação "Espaço Jacobeus" (AEJ), "os Caminhos Portugueses são o único itinerário que regista um substancial aumento do número de peregrinos. Mais cinco mil peregrinos do que o ano de 2009 (não se considera o ano de 2010, por este ter sido especial 'Ano Santo')". Sobre o Caminho Francês, a AEJ refere que "poderá perder peregrinos (neste momento está com menos 15.211 do que em 2009), e os restantes itinerários (Norte, Via da Prata e Primitivo) deverão manter o mesmo número de peregrinos de que no ano de 2009".

Os dados disponibilizados à Lusa apontam para um aumento do número de peregrinos de nacionalidade portuguesa. Este ano, já rumaram a Compostela mais de sete mil portugueses (em 2009 foram 4.854). No entanto, esclarece a AEJ, são os peregrinos de nacionalidade espanhola que mais percorrem os Caminhos Portugueses a Santiago de Compostela. Foram 6.528 mas, destes, 6.005 iniciaram a sua peregrinação em Tui. Os peregrinos portugueses foram 5.401, mas no total de todos os itinerários foram 7.063, o que significa que 1662 portugueses optaram por um itinerário de peregrinação que não os Caminhos Portugueses.

Como "curiosidade" a associação refere que "o número de peregrinos de nacionalidade portuguesa ultrapassa pela primeira vez, analisando as estatísticas desde 1992, o número de peregrinos de nacionalidade francesa". A associação considera que estes números são "animadores" para os Caminhos Portugueses a Santiago de Compostela, "num momento em que não existe em Portugal nenhuma entidade responsável pela coordenação, gestão e promoção deste Grande Itinerário Cultural Europeu do Conselho da Europa".

A AEJ propõe-se relançar o desafio de candidatar os Caminhos Portugueses a Santiago de Compostela a Património da Humanidade pela UNESCO (processo que foi "congelado" em 2010) propondo para o efeito a constituição da "Fundação Caminhos Portugueses a Santiago de Compostela", que deverá reunir o Governo português, câmaras municipais, entidades e regiões de turismo, universidades e institutos politécnicos, bem como associações empresariais e comerciais, além das associações jacobeias.

O Caminho de Santiago foi declarado "Primeiro Itinerário Cultural Europeu", em 1986, pelo Conselho da Europa que, em 2004, lhe atribuiu a denominação de "Grande Itinerário Cultural Europeu".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG