BE vai propor comissão para auditoria da dívida

O dirigente do BE Fernando Rosas anunciou hoje que o partido vai propor, na abertura dos trabalhos parlamentares, a criação de uma comissão eventual para auditoria da dívida.

Se esta iniciativa for inviabilizada pela direita, a comissão avançará na mesma, mas será constituída fora da Assembleia da República, no âmbito da sociedade civil.

"O Bloco de Esquerda tenciona pautar a abertura dos trabalhos eleitorais pela apresentação de uma proposta para a criação de uma comissão para a auditoria da dívida", disse Fernando Rosas em declarações aos jornalistas como porta-voz da comissão política do Bloco de Esquerda que hoje reúne na sede do partido, em Lisboa.

Segundo o ex-deputado "não é concebível que o país seja verdadeiramente esmifrado para o pagamento da dívida sem que os portugueses não saibam qual, o que é, como se constitui e como deve ser paga a dívida pública e privada".

"Não nos passa pela cabeça que haja qualquer dívida pública ou privada que possa ser feita sem um contrato visionado pelo Tribunal de Contas e entendemos que é condição primeira para a abordagem de qualquer questão relativamente à dívida que se constitua uma comissão para avalizar a existência de dívida, para auditar a dívida e saber o que ela é", defendeu.

Segundo Rosas, "se a maioria de direita no Parlamento inviabilizar a criação dessa comissão", o Bloco vai "constituí-la na mesma".

"Apelaremos a especialistas de todas as tendências, a ativistas dos movimentos cívicos, à sociedade civil para que se organize numa comissão cidadã que promova a auditoria à dívida. Essa será a bandeira com que vamos iniciar a nossa participação neste novo ciclo parlamentar", avançou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG