Autarcas criticam "falta de segurança" no IC8

Os presidentes das câmaras de Ansião, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Pombal criticaram hoje a "falta de segurança" do traçado do Itinerário Complementar (IC) 8 e lamentaram a demora nas obras de requalificação exigidas há anos.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, João Marques, o IC8 apresenta um "problema estruturante grave desde a sua inauguração. Faz falta uma terceira faixa".

Também Rui Silva, presidente do município de Figueiró dos Vinhos, criticou a falta de "pistas de aceleração e desaceleração" no IC8, o que "propicia acidentes", bem como a existência de nós "que deveriam ser eliminados".

Em Figueiró dos Vinhos, "os túneis não estão iluminados e o piso deixa muito a desejar".

João Marques criticou, por outro lado, a última sinalização colocada no IC8, que extinguiu várias zonas de ultrapassagem.

"Depois de um automobilista ir atrás de um camião durante muito tempo, acaba por arriscar e ultrapassar onde não é permitido", alertou.

"Ressaltos no asfalto entre o alcatrão novo e o velho, sem qualquer sinalização" e "limites de velocidade entre 50 e 70" são outras falhas apontadas por João Marques, para quem, "tratando-se de um IC, não faz sentido estas velocidades".

O presidente de Pedrógão Grande lembrou ainda que o IC8 é uma "via principal de transporte de madeiras" e, com todas as atuais condições, torna-se num troço "explosivo [para a ocorrência] de acidentes".

Há vários anos que "reclamamos melhores condições para o IC8", frisou o presidente da Câmara de Ansião, Rui Rocha, lamentando que as obras de requalificação tenham sido retiradas da concessão Pinhal Interior.

"Faltam desnivelamentos, não existem zonas de ultrapassagem e a pavimentação não é adequada. Existem velocidades de 50 quilómetros por hora e cruzamentos que atravessam a via. São situações que não deveriam ser permitidas, tendo em conta tratar-se de um itinerário complementar", salientou Rui Rocha.

Já para o presidente da Câmara de Pombal, Narciso Mota, o IC8 está "mal dimensionado" para o tráfego existente. O autarca considerou que o traçado deveria ter "duas faixas para cada lado".

"Não tenho dúvidas que este acidente foi provocado pelo mau dimensionamento da via e insegurança, por deficiência de quem a projetou. As obras devem ser pensadas a longo prazo. O IC8 faz ligação com a A23, A8 e A17", acrescentou Narciso Mota.

Segundo o autarca de Pombal, "falta plano de obras públicas".

Os governos têm seguido uma "má estratégia naquilo que são as necessidades rodoviárias do país", acusou Narciso Mota.

Onze pessoas morreram no domingo e 32 ficaram feridas num despiste do autocarro onde seguiam, que caiu numa ravina cerca das 8:30, no nó de acesso do IC8 ao Carvalhal, no concelho da Sertã, distrito de Castelo Branco.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG