"As poupanças de uma vida de trabalho valiam a cura da minha mãe"

Médica reformada de 77 anos fez tratamento, que lhe custou mais de 97 mil euros. Há três meses que vive sem a doença.

Depois de quase duas décadas a viver com hepatite C, uma médica de 77 anos decidiu, juntamente com os filhos, que ia pagar o tratamento para a doença no privado. O tratamento, que começou em agosto e terminou em outubro, custou mais de 97 mil euros, conta o filho. Dinheiro conseguido com as poupanças da mãe e dos três filhos. "A minha mãe trabalhou a vida inteira e havendo uma cura para a doença dela não fazia sentido guardar esse dinheiro para deixar de herança aos filhos. Valeu a pena o que pagámos", defende.

Agora que um acordo com a farmacêutica vai permitir tratar 13 mil doentes, o filho da doente confessa que este passo "é melhor do que nada". Porém, devia ter "sido feito um esforço para baixar ainda mais o preço de forma que os doentes não prioritários no sistema público pudessem pagar o tratamento no privado. Penso que 3000 euros seria o ideal".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG