ANTRAL satisfeita com abertura do Governo

O presidente da Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio Almeida, congratulou-se hoje com a "abertura" demonstrada pelo ministro da Saúde para analisar a questão do transporte de doentes não urgentes.

Os profissionais daquele setor exigem participar na discussão sobre o transporte de doentes não acamados, que o Governo pretende entregar aos bombeiros

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse na segunda-feira, em Amarante, que o quadro legal não permite que o transporte de doentes seja efetuado em táxis, mas revelou que foi criado um grupo de trabalho para estudar a matéria.

Comentando o protesto dos taxistas em Lisboa, à margem da inauguração do novo Hospital de Amarante, Paulo Macedo referiu que os taxistas vão ser recebidos, em maio, pelos secretários de Estado do Ministério da Saúde "para analisar a situação".

Para o presidente da ANTRAL, "isto demonstra que o ministro está com alguma abertura para que os táxis não fiquem fora dos transportes não urgentes".

"Nós não reivindicamos exclusividade, mas também não permitimos que haja exclusividade para os bombeiros", disse Florêncio Almeida.

Em declarações à Lusa, o presidente da ANTRAL acrescentou: "Isto para nós já é meio caminho andado. O que pretendíamos era o diálogo, que tem estado fechado desde agosto. O protesto de segunda-feira foi uma forma de abrirmos o diálogo, porque é assim que as entidades se devem entender e chegar a algumas conclusões".

"Vamos ver no que vai dar, naturalmente que se isto não tiver nenhum sucesso, iremos ponderar outras formas de luta, se calhar mais duras", admitiu Florêncio Almeida, referindo que o objetivo é fazer "prevalecer os interesses tanto dos utentes do Serviço Nacional de Saúde, como das empresas de táxis e também do país".

"Nós estamos aqui para poupar dinheiro ao Estado e não a pedir nada", disse, referindo ainda que "os bombeiros não são empresas de transportes, são associações humanitárias para socorrer as populações".

"Como tal, o que pretendemos é que o serviço de transporte de doentes não urgentes do Serviço Nacional de Saúde seja colocado a concurso".

A reunião entre as associações nacionais representativas dos taxistas e os secretários de estado do Ministério da Saúde está agendada para 10 de maio, às 15:00.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG