Ameaça de bomba leva a evacuação de Centro de Saúde em Oliveira de Azeméis

Mensagem gravada em "loop" exigia remarcação das consultas canceladas. Situação já foi normalizada

O centro de Saúde de São Roque, em Oliveira de Azeméis, foi evacuado esta manhã devido a uma ameaça de bomba, confirmou ao DN fonte do comando da GNR de Aveiro. Fonte dos bombeiros locais disse à Lusa que um indivíduo ter telefonado para o local a ameaçar acionar um engenho explosivo caso as consultas desmarcadas não fossem repostas. Entretanto, a unidade de saúde já retomou a atividade, depois de não ter sido encontrado qualquer engenho explosivo.

A ameaça chegou à unidade de saúde por volta das 10:30 e obrigou à intervenção da GNR, que fez sair do recinto todos os funcionários e utentes. Também evacuou o edifício contíguo da Junta de Freguesia, "por precaução", e entregou depois a uma brigada de inativação de explosivos as operações necessárias para assegurar a segurança do local.

"Ao que nos explicaram, houve uma série de consultas que tiveram que ser desmarcadas estes dias porque uma médica do centro de saúde está de baixa", declarou à Lusa o comandante da corporação de bombeiros de Oliveira de Azeméis, Paulo Vitória. "Alguém não deve ter ficado satisfeito e ligou para lá a partir de um número anónimo, a dizer que, se as consultas não fossem remarcadas até ao final do dia de hoje, fazia explodir o dispositivo que deixara no centro de saúde", acrescentou esse responsável.

A ameaça foi feita a partir de um número de telefone "não identificado" e, segundo o comandante dos bombeiros, envolveu "uma mensagem [áudio] gravada", repetida em 'loop'.

Paulo Vitória defendeu, contudo, que "tudo terá sido uma brincadeira de mau gosto", porque até às 13:00 ainda não fora encontrado qualquer engenho explosivo no local e logo depois a GNR "já estava a permitir que as pessoas entrassem outra vez no edifício".

Cerca das 13:15, o centro de saúde retomou a atividade normal. "Não passou tudo de uma ameaça", garantiu à Lusa o tenente Gonçalo Ribeiro, do comando distrital de Aveiro da GNR, acrescentando que "foi feita uma busca a todo o edifício e nada foi encontrado".

Após a análise efetuada ao imóvel pela brigada de desativação de explosivos dessa força policial, os funcionários do centro de saúde foram reconduzidos para os seus postos de trabalho e procederam também eles a uma busca.

"Pedimos-lhes que avaliassem se haveria no local algo estranho, diferente do habitual, mas também não houve registo de nada, pelo que o centro de saúde estará por esta altura a retomar a sua atividade normal", afirmou o tenente da GNR.

(Atualizada às 15:00 com desfecho da situação)

Mais Notícias

Outras Notícias GMG