Álvaro Novo reforça Ministério das Finanças como secretário de Estado do Tesouro

Álvaro Novo desempenhava até agora as funções de economista-chefe no gabinete do ministro das Finanças

O Ministério das Finanças vai ser reforçado com um novo secretário de Estado, Álvaro Novo, que ficará com a pasta do Tesouro, segundo uma nota colocada hoje no site da Presidência da República.

Álvaro Novo, que até agora desempenhava as funções de economista-chefe no gabinete do ministro das Finanças, Mário Centeno, vai tomar posse na próxima segunda-feira, no Palácio de Belém, como secretário de Estado do Tesouro.

O até agora responsável pela área do Tesouro, Ricardo Mourinho Félix, vai também tomar posse, agora no cargo de secretário de Estado Adjunto e das Finanças, refere a nota da Presidência da República.

A equipa das Finanças fica assim composta pelo ministro Mário Centeno e por cinco secretários de Estado.

A nova equipa do ministro Mário Centeno passa a ser constituída por Ricardo Mourinho Félix (secretário de Estado Adjunto e das Finanças), Fernando Rocha Andrade (secretário de Estado dos Assuntos Fiscais), João Leão (secretário de Estado do Orçamento), Carolina Ferra (secretária de Estado da Administração e do Emprego Público) e Álvaro Novo (secretário de Estado do Tesouro).

"Na sequência das propostas nesse sentido do Primeiro-ministro, o Presidente da República exonerou o Mestre Ricardo Emanuel Martins Mourinho Félix das funções de Secretário de Estado Adjunto, do Tesouro e das Finanças, mais tendo nomeado o mesmo para as funções de Secretário de Estado Adjunto e das Finanças e também nomeado o Doutor Álvaro António da Costa Novo para as funções de Secretário de Estado do Tesouro. A posse dos dois Secretários de Estado está marcada para a próxima segunda-feira, 6 de fevereiro, pelas 15h30, no Palácio de Belém", refere a nota colocada hoje no site da Presidência da República.

Estratégia para o sector empresarial do Estado

O Ministério das Finanças justificou a entrada de um novo secretário de Estado para a sua equipa com a necessidade de intensificar a execução da estratégia para o setor empresarial do Estado prevista no Programa do Governo.

Fonte do Ministério das Finanças disse à agência Lusa que "o aumento da eficiência do setor empresarial do Estado implicará a intensificação da implementação da estratégia delineada no Programa do Governo para esse setor", designadamente na execução de "medidas que conduzam a uma utilização mais eficiente do património do Estado".

"No ano de 2017 é essencial completar a estabilização do sistema financeiro, intensificar o trabalho com os participantes nos mercados financeiros e agências de notação financeira, mas também com a Comissão Europeia", disse a fonte do Governo à Lusa.

De acordo com o Ministério das Finanças, "os consequentes desenvolvimentos ao nível da consolidação das finanças públicas, da capitalização do setor financeiro e a implementação de uma solução abrangente para o crédito malparado são importantes para melhorar as condições de financiamento das empresas".

De economista-chefe à secretaria de Estado

O novo secretário do Estado do Tesouro, Álvaro Novo, licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra, era desde 3 de dezembro de 2015 economista-chefe do gabinete do Ministro das Finanças, Mário Centeno. Começou a trabalhar com Centeno cerca de uma semana depois da posse do atual Governo, a 26 de novembro de 2015.

Além da licenciatura, Álvaro Novo, que nasceu em Estarreja em 1972, é doutorado em Economia e mestre em Estatística Aplicada pela Universidade de Illinois, Estados Unidos, e mestre em Economia para Universidade de Southern Illinois, Estados Unidos.

Álvaro Novo é técnico-consultor do Banco de Portugal desde 2001 e professor associado-convidado do ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão - Universidade de Lisboa) e da Universidade Nova.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG