Afinal o cartaz "foi um erro", assume Catarina Martins

Cartaz autorizado por Catarina Martins foi criticado pela Igreja, PSD, CDS e até por dirigentes bloquistas

Bloquista assume que o cartaz com a frase "Jesus também tinha dois pais" foi "um erro" porque "não foi compreendido"

À entrada para o encerramento do 13º Congresso da CGTP, a coordenada do Bloco de Esquerda - citada pelo Jornal de Notícias - assumiu, tal como o DN revelou hoje, que deu luz verde ao polémico cartaz. "Tudo o que passa pelo Bloco de Esquerda, passa pela direção e por mim", afirmou.

Catarina Martins explicou que o objetivo do BE era "assinalar uma conquista muito importante no campo da igualdade. Uma das formas de o fazer foi a tradução de um 'slogan' do movimento internacional cristão pela igualdade". E adiantou: "Não foi compreendido e como não foi compreendido é um erro".

"Aprende-se, vive-se, as imagens passam, as conquistas pela igualdade, essas ficam com certeza", sublinhou.

O cartaz foi criticado por PSD e CDS e pela Conferência Episcopal, que o considerou uma "afronta aos crentes". Também houve objeções internas. Francisco Louçã e Mariana Martins foram dois dos rostos do BE que contestaram o cartaz aprovado por Catarina Martins.

Na sexta-feira à noite, o Cardeal-Patriarca de Lisboa também condenou o cartaz, considerando que representa uma mentira "que desqualifica quem a propaga".

Catarina Martins viu e não se opôs à imagem para partilha na internet - concebida a pensar num público mais jovem e menos conservador -, que ninguém no partido esperava que tivesse provocado tanta celeuma.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG