Noivo doente teve autorização para fazer hemodiálise

O doente de Setúbal com insuficiência renal a quem o Hospital da Horta, nos Açores, tinha recusado o tratamento de hemodiálise já foi autorizado a utilizar a unidade de saúde.

Fonte da Direção Regional de Saúde disse à Lusa que os serviços regionais decidiram "assegurar as condições" para que o paciente, de 46 anos, possa fazer os seus tratamentos na ilha do Faial durante a sua deslocação à região, no mês de dezembro, para se casar com uma açoriana.

José Mestre Jacinto foi obrigado a adiar a data do seu casamento, inicialmente marcado para o dia 3 de dezembro, devido à recusa do Hospital da Horta em assegurar os tratamentos de hemodiálise. A unidade alegava incapacidade dos serviços para acolher doentes temporários.

"A situação já está ultrapassada e o senhor já foi informado de que poderá deslocar-se aos Açores", adiantou a mesma fonte, admitindo ter existido um "falha de comunicação" neste caso.

Contactada pela Lusa, a companheira de José Mestre Jacinto adiantou que o noivo tem passagem marcada para os Açores para a próxima segunda-feira e que o matrimónio terá lugar uma semana depois.

O paciente tinha já apresentado uma reclamação ao provedor de Saúde nos Açores.

A direção clínica do Hospital da Horta tinha recusado os tratamentos no período requerido pelo utente (1 de dezembro de 2012 a 1 de janeiro de 2013), com o argumento de não ter disponibilidade nestas datas para aceitar o doente.

Fonte da unidade de saúde tinha dito à Lusa que o hospital "não tem capacidade" para acolher mais doentes nos atuais turnos de funcionamento da Unidade de Hemodiálise, pelo que a entrada, mesmo que provisória, de apenas mais um paciente obrigaria a "criar mais um turno".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG