Acabar com Ministério da Cultura é "retrocesso civilizacional"

A ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, reagiu hoje, sábado, à proposta do PSD de passar esta área a Secretaria de Estado e lembrou que Malta e Hungria são os únicos países da União Europeia em que isso acontece.

"É inacreditável e inaceitável que seja esta a ambição que o PSD e CDS têm para a Cultura: equiparar-nos a Malta e Hungria", afirmou à agência Lusa a ministra, reagindo à proposta do PSD .

Para a governante, declarações de alguns responsáveis do Partido Social Democrata "são a confirmação de que o PSD e o CDS pretendem a destruição de uma das maiores conquistas que o meio cultural alcançou e que foi uma conquista do PS: a criação do Ministério da Cultura".

Gabriela Canavilhas referiu que "é também uma antecipação clara de uma intenção de desorçamentar a cultura, nomeadamente no apoio às artes".

Alguns jornais têm referido a proposta do PSD de juntar no mesmo ministério a Educação, a Ciência e a Cultura.

Para Gabriela Canavilhas, o fim da estrutura constitui um "retrocesso civilizacional e o PS não acredita em retrocessos civilizacionais".

E nem os problemas económicos podem justificar esta opção, segundo a ministra, que dá o exemplo da Irlanda que "em plena crise, no pico da intervenção do FMI, decidiu criar o ministério da Cultura".

Aliás, "um ministério tem custos similares a uma secretaria de estado, a diferença é mínima", acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG