A um mês do fim do primeiro período ainda há alunos sem aulas de compensação

Ministério ainda não aprovou todos os pedidos de pagamento de horas extraordinárias para compensar as turmas pelas aulas perdidas com o erro na colocação de professores.

Falta um mês para acabar o primeiro período, mas ainda há escolas que esperam a aprovação do pagamento de horas extraordinárias por parte do Ministério da Educação e Ciência (MEC). O que faz com que muitos alunos ainda não estejam a ser compensados pelas aulas que perderam com o erro na colocação de professores. OMinistério diz apenas ter já aprovado a maior parte.

O problema afetou cerca de um terço das escolas, mas cada uma está a recuperar a um ritmo diferente. Enquanto numas as aulas já começaram, noutras arrancam só esta semana, e há ainda casos em que nem sequer há data para o seu início. O agrupamento de Vialonga é um desses exemplos. Fez o pedido, para o pagamento de horas extraordinárias para duas turmas de 6.º ano a Português e Matemática, no final de outubro e a resposta da tutela ainda não chegou. Uma espera que não desanima o diretor: "Quero começar as aulas para os alunos que vão ter exame ainda no primeiro período." Os outros anos vão também ter aulas de História, Geografia e Físico-Química, mas não serão repostas na totalidade, diz Nuno Santos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG