A Mafalda já tem três irmãos, Cébrian mora sozinho

Dez anos depois da tragédia no Sudeste Asiático, o mundo recorda as vítimas e os sobreviventes do tsunami.

Oito meses depois do dia em que a bebé de oito meses foi arrancada aos braços da mãe, numa praia de Phuket, a confirmação chegou através de um teste de ADN feito na China. As cinzas foram levadas para Macau, para junto da família. Mas as coisas não se tornaram mais fáceis. A reunião com Mafalda serviu apenas para encerrar um capítulo e retomar a vida. E assim ela prossegue, dez anos depois.

"A espécie humana tem disto, tem os extremos", conta o avô materno de Mafalda, Fernando Santos Silva. "A minha filha conseguiu superar. Neste momento tem três filhos: um rapaz e duas raparigas. Está a sobreviver. Há coisas que não se conseguem esquecer mas ela reconstruiu a vida e isso é sempre uma mensagem de esperança."

A mãe de Mafalda é professora e o pai advogado. Nunca saíram de Macau. "O rapazito, que fez agora 8 anos, nasceu pouco depois. Têm uma miúda de 5 anos e agora uma bebé de 1 ano também", conta.

Leia mais no e-paper do DN ou na edição impressa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG