A arte de esculpir a areia começa a percorrer o País

Praias de Santa Cruz (Torres Vedras) e de Tavira (ilha) recebem, a partir das 10.00, as primeiras etapas da 55.ª edição das Construções na Areia, uma iniciativa do 'Diário de Notícias'.

Quando, às 10.00 de hoje, os participantes nas Construções na Areia começarem a dar asas à imaginação nos areais das praias de Santa Cruz (Torres Vedras) e de Tavira (ilha), já os cinco elementos que montam o recinto do concurso organizado pelo Diário de Notícias terão unido esforços durante cerca de duas horas para que nada falhe no dia inaugural da 55.ª edição da iniciativa. O empenho manter-se-á até ao dia da final nacional, marcada para 2 de setembro, no Tamariz (Estoril).

São 25 as zonas balneares tradicionalmente "familiares" que este ano recebem a festa das esculturas efémeras (ver mapa). A partida é dada hoje, pelas 10.00, nas praias de Santa Cruz e de Tavira (ilha), e promete ser um bom exemplo do que irá acontecer, até 2 de setembro, de norte a sul do País. Em cada areal, deverão ser 60 os jovens participantes, distribuídos por duas categorias: a A, dos seis aos dez anos, e a B, dos 11 aos 14. As inscrições são gratuitas e, segundo a organização, podem ser feitas até ao dia anterior do evento ou até 15 minutos antes do início da competição caso as vagas disponíveis não tenham sido preenchidas.

Certo é que, diz o regulamento, quem já tiver reservado o seu lugar deve "comparecer no recinto 30 minutos antes da hora marcada para o início do concurso, munido dos apetrechos para os seus trabalhos, bem como do respetivo bilhete de identidade". Depois, cada criativo terá direito a uma área de aproximadamente quatro metros quadrados, podendo utilizar, durante o nascimento da obra de arte, "um balde de plástico para transporte de água", "conchas, plantas, algas marinhas, seixos e apetrechos próprios para esculpir". Tudo para conseguir dar vida à escultura perfeita num máximo de 50 (Escalão A) ou 60 minutos (Escalão B).

Final nacional é só para os melhores dos mais velhos

A seguir, é a vez do júri entrar em ação, elegendo os seus favoritos. Em cada etapa, há prémios para os três primeiros classificados de ambos os escalões (ver caixa), mas apenas os vencedores dos 11 aos 14 anos têm acesso à final nacional. No ano em que as Construções na Areia celebram seis décadas de história, a honra de receber os melhores dos melhores cabe à praia do Tamariz, no Estoril, numa etapa que contará com o apoio da Câmara Municipal de Cascais e onde estará presente a mascote do Canal Panda.

De resto, são várias as entidades que tornam possível a realização, pela 55.ª vez, desta iniciativa do Diário de Notícias, entre as quais se destaca a Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo, que volta a estar presente para lembrar que há comportamento que ajudam a prevenir o aparecimento da doença (ver texto secundário). Nada que arrefeça o entusiasmo dos pequenos artistas. É espreitar e comprovar. A partir de hoje, de norte a sul do País.

Mais Notícias