14 toneladas de rebuçados por dia, mas a nova moda são doces sem açúcar

Empresa familiar de Viana lança doces sem açúcar para conquistar novos mercados. Pessoas com diabetes ou com preocupações alimentares são o principal alvo.

Uma empresa familiar instalada em Viana do Castelo, que produz 14 toneladas de rebuçados por dia, lançou uma nova linha de doces sem açúcar para entrar em novos mercados internacionais, disse hoje à Lusa a gerência.

"Neste momento estamos esforçar-nos para aumentar as nossas exportações com produtos novos. Lançamos uma linha sem açúcar, quer em rebuçados, quer em caramelos", afirmou a sócia gerente da "Drops Nazaré", Rita Diogo.

"Em março vamos estar presentes numa feira internacional de alimentação para ver se conseguimos atingir novos mercados", acrescentou a gestora daquela que na terça-feira foi uma das empresas do concelho distinguidas com o título de "Instituição de Mérito" atribuído pela Câmara Municipal no âmbito das comemorações dos 167 anos de elevação de Viana do Castelo a cidade.

Segundo a responsável a aposta nos rebuçados sem açúcar surgiu da "necessidade de dar resposta às exigências a alguns segmentos de mercados", como por exemplo, "pessoas com diabetes ou com preocupações alimentares".

"Os rebuçados sem açúcar que estamos a lançar vão ser vendidos em parafarmácias", especificou.

A empresa, instalada na freguesia de Afife, a pouco mais de 11 quilómetros do centro da cidade de Viana do Castelo cumpre, este ano, 60 anos de atividade.

Criada em 1955, a fábrica emprega atualmente 37 trabalhadores, recrutados no concelho, e tem um volume de faturação anual que ronda os três a quatro milhões de euros.

A "Drops Nazaré" é um dos principais produtores a nível nacional de rebuçados, chupas, caramelos, pastilhas elásticas, torrão 'nougat' e barras energéticas.

A empresa já exporta para os mercados dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e para o "mercado da saudade", como França, Suíça, Luxemburgo e Polónia e para o "mercado de proximidade", em Espanha.

Atualmente, a empresa também está presente em algumas lojas e armazéns nos EUA.

Com instalações "totalmente automatizadas" a administração da fábrica de rebuçados estima, a "curto/médio" prazo ampliar as instalações depois de ter realizado no final de 2014 "um investimento significativo" em novas máquinas.

Mais Notícias