Associação 25 de Abril defendeu que não houvesse desfile este ano

Capitão de Abril rejeita críticas à associação - "Como sempre dissemos não há donos do 25 de Abril".

O coronel Vasco Lourenço afirmou este sábado que a Associação 25 de Abril foi contra a realização do tradicional desfile na Avenida da Liberdade, devido às restrições impostas pela pandemia, recusando as críticas que se têm feito ouvir à opção de limitar o desfile às entidades organizadoras.

Essa decisão foi alterada esta sexta-feira, após uma reunião virtual da comissão promotora do desfile - composta por mais de 40 entidades - em que ficou decidido abrir o evento à participação de todas as entidades interessadas. Uma decisão tardia para a Iniciativa liberal, um dos partidos que tinha ficado fora do desfile, e que vai manter um desfile paralelo na tarde de domingo.

"Como sempre dissemos não há donos do 25 de abril, todos podem comemorar o 25 de abril como entenderem. A comissão promotora organiza um desfile específico, que tem regras, quem se assume dentro desse conceito definido no apelo pode participar", disse esta manhã Vasco Lourenço, na SIC Notícias.

O capitão de Abril rejeitou que a primeira decisão, de limitar a participação no desfile aos organizadores, possa ser imputada à Associação 25 de Abril, quando "a associação até tinha sido e entidade dentro da comissão promotora que se tinha batido pela não realização do desfile, porque consideramos que não havendo condições para fazer a grande manifestação popular, era preferível não fazer o desfile". Mas acabou por aceitar a "decisão praticamente unânime da Comissão promotora" e a "responsabilidade de dar a cara" em nome desta.

"Não aceitamos é que começassem, depois, alguns elementos da comissão promotora a dizer 'eu não dei por isso'", sublinhou Vasco Lourenço à estação televisiva.

A decisão de limitar a participação no desfile, deixando de fora partidos como a Iniciativa Liberal e o Volt, provocou uma chuva de críticas à associação 25 de Abril, algumas vindas de partidos e entidades com assento na comissão promotora do desfile.

O ano passado, a tradicional descida da Avenida da Liberdade que assinala o aniversário da Revolução dos Cravos, não se realizou devido à pandemia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG