Tinhamos 'mais poder negocial' na guerra fria que hoje

O professor catedrático e especialista em relações internacionais Luís Andrade considera que durante a guerra fria Portugal tinha "mais poder negocial" do que detém hoje no quadro das relações bilaterais com os EUA.

"Parece-nos claro que, durante a guerra fria, Portugal tinha mais poder negocial do que tem hoje", especificou o especialista em relações internacionais, que falava em Indiana (EUA) numa conferência internacional subordinada ao tema "Explorando a diáspora portuguesa em perspetivas interdisciplinares e comparada".

O pró-reitor da Universidade dos Açores considera que o surgimento de um "mundo unipolar" contribuiu para "aumentar a influência" norte-americana à escala global, o que gerou "repercussões" no quadro do Acordo Bilateral de Defesa e Cooperação em vigor entre Portugal e os EUA.

Luís Andrade considera que há que ter em consideração o papel que Portugal e os Açores "desempenharão" no quadro do mundo "unipolar" e da implementação por parte da União Europeia da política comum de segurança.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG