Sucessão no PS? "Acabo de ser reeleito, essa questão não existe"

António Costa chegou ao Portimão Arena, onde decorre este fim de semana o 23º congresso do partido.

António Costa rejeita qualquer leitura quanto à sua sucessão no 23º congresso do partido, que decorre este fim de semana em Portimão. "Essa questão não existe. Acabo de ser reeleito e vou cumprir o mandato", afirmou o líder socialista à entrada para o conclave, na manhã deste sábado.

Sobre o facto de os quatro potenciais candidatos à liderança do partido - Pedro Nuno Santos, Fernando Medina, Mariana Vieira da Silva e Ana Catarina Mendes - terem sido chamados a sentar-se na mesa do Congresso, um lugar de particular destaque, António Costa desvalorizou essa circunstância: "A mesa do congresso é bastante ampla, tem vários elementos, é natural que aqueles que têm sido os rostos do PS em vários combates decisivos estejam presentes."

Para o secretário-geral socialista o que está em discussão este fim de semana, em Portimão, "é a linha do PS para os próximos dois anos". Sem surpresas na estratégia do partido - "O PS é o partido que procura unir a esquerda como alternativa ao que foi o governo de direita".

Antes, o presidente do PS, Carlos César - entretanto reeleito para o cargo, com mais de 90% dos votos - tinha já deixado uma reação às palavras do líder do PSD, Rui Rio, que em entrevista ao Expresso no final de julho disse que o PS "parte-se todo" se António Costa sair. "Presumo que o líder da oposição diz isso por experiência própria, mas o PS tem evidenciado que é bem diferente", retorquiu César.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG