Seguro vai confrontar Passos sobre rendimentos

Líder socialista quer explicações de Passos Coelho no debate quinzenal desta sexta-feira no Parlamento. "Um primeiro-ministro não se pode esconder atrás das instituições", avisou.

António José Seguro insistiu esta quinta-feira à noite, em Fafe, que Passos Coelho deve explicações ao País sobre o caso Tecnoforma. "Não podemos ter um primeiro-ministro sob suspeita", começou por dizer, para logo acusar Passos de fugir ao esclarecimento do seu caso. "Um primeiro-ministro não se pode esconder atrás das instituições", avisou.

Num pavilhão cheio com mais de 1200 pessoas, segundo dados da candidatura, o secretário-geral do PS disse que irá confrontar, esta sexta-feira de manhã, no debate quinzenal no Parlamento, Passos Coelho sobre o caso. "Estou em condições de exigir isso ao primeiro-ministro porque também exijo isso dentro do PS", atirou.

Antes de evocar o caso Tecnoforma, Seguro tinha insistido num dos temas fortes da sua campanha das eleições primárias socialistas, o da separação dos negócios e da política. "A política não convive bem com a opacidade", disse.

O líder do PS quase deixou as farpas para o seu adversário interno para quem discursou antes e preferiu falar como candidato a primeiro-ministro, como se tratasse de um comício para as legislativas. "Estou mesmo seguro que vamos ganhar as próximas legislativas", disse.

"Sempre defendemos outro caminho, não um caminho milagroso, porque temos os pés bem assentes na terra", disse, antecipando os temas que têm sido o prato forte da sua campanha. "O país que nós queremos é um país onde o Estado, através de políticas públicas, combate as desigualdades", apontou.

"Eu só quero que ganhes limpinho, limpinho, por um voto, para que António Costa possa dizer que foi uma vitória magra, mas já não haverá segunda volta", ironizou José Ribeiro, o ex-presidente da Câmara local, que entregou ao líder do PS uma estatueta "simbólica" - a da justiça de Fafe.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG