Seguro critica Passos por ficar "feliz" com orçamento

O secretário-geral do PS, António José Seguro, criticou hoje o primeiro-ministro por ter ficado "contente e feliz" com uma "redução de cerca de três mil milhões de euros" no financiamento para Portugal fixado no orçamento comunitário plurianual.

Pedro Passos Coelho manifestou a sua satisfação com o acordo sobre o orçamento comunitário plurianual hoje alcançado no Conselho Europeu, em Bruxelas, afirmando que os benefícios para Portugal superam mesmo os da proposta inicial da Comissão Europeia.

António José Seguro, que falava aos jornalistas no Porto, considerou que "Portugal e a Europa ficaram a perder com esta decisão" e que "numa altura em que a Europa precisa de mais economia, os líderes europeus decidem menos orçamento".

"E temos um primeiro-ministro que aceita essa redução do orçamento e fica contente e feliz também por uma redução de cerca de três mil milhões de euros, se os dados que eu tive conhecimento estão corretos, em relação ao financiamento no que diz respeito a Portugal. Esta é uma má notícia para a Europa, é uma má notícia para Portugal", considerou.

Para o secretário-geral do PS, era preciso "ter um orçamento com instrumentos importantes para que pudesse haver um ambiente propício ao dinamismo e ao crescimento económico e a criação de emprego".

Questionado sobre se já teria falado com o primeiro-ministro após o acordo em Bruxelas, António José Seguro garantiu que não e que os debates e as conversas que teve com Pedro Passos Coelho sobre este tema são públicos, isto é, os dois debates que houve no Parlamento.

"Devo-lhe dizer que se eu fosse primeiro-ministro teria tido outra atitude para com o líder da oposição", observou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG