Rio acusa Costa de "deturpar" declarações. Nega estar "refém" da extrema-direita

Presidente do PSD frisa que "não é possível" entendimento com o Chega a participar no Governo.

O presidente do PSD, Rui Rio, acusou hoje o secretário-geral do PS, António Costa, de "deturpar" as suas declarações e negou estar "refém" da extrema-direita, frisando que "não é possível" entendimento com o Chega a participar no Governo.

"Ele [António Costa] vem deturpar e dizer que eu estou refém da extrema-direita e eu disse exatamente o contrário. Ele perdeu uma boa oportunidade de estar calado", disse Rui Rio aos jornalistas, durante um contacto com a população na cidade alentejana de Évora.

O líder do PSD disse que António Costa "baixa o nível quando vem dizer" que ele tinha dito esta manhã, numa entrevista à rádio Antena 1, que está "dependente" da extrema-direita, mas o secretário-geral do PS "sabe bem" que não foi o que ele disse.

"Foi exatamente o contrário", frisou Rui Rio, sublinhado: "A não ser que António Costa ache que há deputados de primeira e deputados de segunda e que os deputados de segunda devem sair da sala e não têm direito a votar".

"Se [António Costa] achar isso, aí já é diferente, mas como eu penso que não acha isso, veio obviamente faltar a verdade ao dizer uma coisa que eu não disse", afirmou Rui Rio.

Questionado sobre se o Chega serve para viabilizar documentos na Assembleia da República, mas não serve para um entendimento de Governo, o líder do PSD esclareceu que o que tinha dito hoje de manhã é o que tem "dito sempre".

Ou seja: "A partir do momento em que o Chega diz que só há entendimento se o Chega participar no governo, e para nós [PSD] isso não é possível, está para lá da linha vermelha, não há problema nenhum, o problema está resolvido".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG