Revelações de Machete provocam tensão entre ministros

Miguel Macedo não terá conseguido esconder a sua "irritação" quando ouviu o ministro dos Negócios Estrangeiros, falar publicamente daquele que é a mais tabu das suas pastas, o terrorismo.

Miguel Macedo tem fama de ser um político ponderado na gestão da sensível pasta que tutela, a Administração Interna. Nada o incomoda mais do que holofotes virados para questões operacionais de segurança nacional. Por isso, fontes próximas do ministro garantiram ao DN que o calmo Macedo não terá conseguido esconder a sua "irritação" quando ouviu o colega, ministro dos Negócios Estrangeiros, falar publicamente daquele que é a mais tabu das suas pastas, o terrorismo.

Ontem na reunião de Conselho de Ministros o caso chegou a provocar momentos de alta tensão entre ministros. Com Pedro Passos Coelho ausente, Miguel Macedo não se coibiu de questionar Rui Machete, por ter vindo revelar, numa entrevista à Rádio Renascença, que havia alguns portugueses, "dois ou três, sobretudo raparigas", no Estado Islâmico que queriam regressar.

"Inaceitáveis", terá sido a palavra que utilizou para classificar as declarações de Machete e, segundo fontes próximas na reunião, terá lembrado o ministro dos Negócios Estrangeiros que era ele e "apenas" ele ministro da Administração Interna que se pronunciava sobre essas questões. Miguel Macedo terá também salientado os riscos que as informações reveladas por Rui Machete podiam colocar à Segurança do país, principalmente no alarme público que podiam causar.

Leia a carta do ministro dos Negócios Estrangeiros ao Diário de Notícias

Leia mais pormenores na edição e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG