Reunião da Comissão Política sem declarações à imprensa

A reunião da Comissão Política Nacional do PSD de hoje à noite vai realizar-se, como habitualmente, à porta fechada e não estão previstas quaisquer declarações à imprensa, anunciou o partido.

A justificação do PSD para não haver declarações à imprensa é que não houve qualquer compromisso nesse sentido e que os jornalistas não foram formalmente convocados para a reunião, apesar de esta ter sido anunciada oralmente pelo coordenador da direção nacional social-democrata, Jorge Moreira da Silva, no domingo.

Em reação à intervenção feita, nesse dia, pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e presidente do CDS-PP, Paulo Portas, em que este manifestou a discordância do seu partido quanto às alterações à Taxa Social Única (TSU), Jorge Moreira da Silva anunciou que a Comissão Permanente e a Comissão Política Nacional do PSD iriam reunir-se na segunda e na quarta-feira, respetivamente.

Numa declaração de um minuto, sem direito a perguntas da comunicação social, o coordenador da direção nacional social-democrata adiantou que essas reuniões serviriam para "analisar e avaliar de um modo muito detalhado as decisões do CDS-PP", que considerou não serem "indiferentes para a coligação e, porventura, para o próprio Governo".

A reunião de segunda-feira da Comissão Permanente do PSD realizou-se sem a presença do primeiro-ministro e presidente do partido, Pedro Passos Coelho, e, desde então, os dirigentes do PSD têm-se remetido ao silêncio.

A exceção foi uma curta declaração feita pela vice-presidente do partido Teresa Leal Coelho às televisões que a interpelaram quando saiu, de carro, da sede nacional do PSD, em Lisboa: "Mantemos o nosso sentido de responsabilidade e vamos conseguir ultrapassar esta questão política".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG