Reality show Ventura agita redes sociais de todos os candidatos. Interações disparam 87% com debates

Pegada digital nas Presidenciais. No mundo das redes sociais, quanto mais os candidatos falam de André Ventura, mais interações têm. Marisa Matias em destaque após debate de quinta-feira e Tiago Mayan a surpresa em resultados, apesar dos poucos seguidores. Marcelo deixa as "redes" para segundo plano. Análise mostra como discurso "inflamado" nos debates ganha tração no Facebook e companhia. Semana de debates fez disparar em 87% as interações.

São números recorde e espelham bem a eficácia dos debates desde o início de 2021 para o protagonismo dos candidatos presidenciais nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram. Mas há, desde logo, uma tendência que alimenta todas as principais interações: André Ventura. Na análise que o DN/DV fez não só é o candidato que lidera nas interações de duas das três redes sociais - a exceção é o Instagram, onde Marisa Matias ganha por pouco e com a "ajuda" de Ventura -, como é o candidato apoiado pelo Chega que faz gerar interações e tráfego para os outros candidatos.

"O fenómeno de aumento de interações neste período é transversal às três principais plataformas, embora o Facebook tenha maior dimensão, e mostra como esta é uma forma de comunicação com cada vez mais público e em notório crescimento." A conclusão é de José Moreno, investigador do ISCTE e um dos responsáveis pelo barómetro Presidenciais 2021 nas redes sociais.

Sobre o que tem alimentado mais as reações, os comentários e as partilhas, parece não haver dúvida: "Ventura é quem suscita mais reações e vemos epifenómenos que se tornam mais facilmente virais, como as pedras que Tino de Rans levou para o debate com Ventura, a agressividade no debate João Ferreira-Ventura, ou as trocas repletas de soundbites." O debate com Marisa Matias foi o que teve mais interações (ver caixa).

Este último foi mesmo determinante para um valor recorde de interações de Matias em várias plataformas. O post de quinta-feira após o debate com uma imagem onde lista "as propostas de André Ventura que prejudicam portugueses comuns" teve 4,6 mil reações, 506 comentários e 2437 partilhas no Facebook e permitiu superar no Instagram em interações nesta semana precisamente o candidato do Chega - com 29,9 mil em sete dias -, mas também ter efeito no Twitter. Nesta rede social, a candidata apoiada pelo BE alcançou o valor impressionante de 5,4 milhões visualizações diretas das suas publicações, metade graças à tal imagem e a vídeos com Ventura.


87% de aumento de interações

Tal como é possível ver pelas tabelas por baixo, as contas dos sete candidatos presidenciais estiveram ao rubro em interações, novos seguidores e mais pessoas alcançadas. A rede rainha, o Facebook, viu as interações nas contas dos sete dispararem em média 87% nos primeiros sete dias de 2021, com mais de 208 mil interações (que inclui partilhas, comentários e reações) - a comparação é feita com a melhor semana de dezembro, antes do Natal.

José Moreno destaca que "há um peso importante do apoio partidário aos candidatos, que têm melhor desempenho nas interações por isso mesmo", e aí é notório o caso de Ventura com apoio do Chega, mas também de João Ferreira com o PCP e de Marisa Matias com o Bloco de Esquerda. "Ana Gomes não tem um desempenho tão forte porque falta esse apoio oficial", enquanto "Marcelo só tem contas de apoiantes no Instagram e no Facebook" e ambas têm poucos posts e baseiam-se em links de notícias.

O número de seguidores há muito que deixou de ser determinante no Facebook e no Twitter, "o que é cada vez mais medido e valorizado são as interações". Moreno dá o exemplo de Ana Gomes, líder isolada em número de seguidores no Twitter, com 102 mil - em segundo está Marisa Matias, com 61,4 mil -, mas foi a quinta com mais interações nessa mesma rede social nesta semana e ficou bem atrás de Tiago Mayan, que só tem 5,7 mil seguidores. O candidato da Iniciativa Liberal foi "uma das surpresas nas redes sociais nesta semana".

Ficha: Facebook, Instagram, Twitter, CrowdTangle, Brandwatch (Barómetro do ISCTE), DV/DN

Rei das interações (negativas e positivas): Ventura

O investigador do MediaLab CIES do ISCTE explica que "é difícil encontrar uma relação direta entre sucesso nas redes sociais e mais votos até porque há uma maioria silenciosa que não reage", mas é certo que o maior número de interações lhes dá visibilidade e alimenta a base de apoio (e sem os custos dos cartazes ou de anúncios).

Como a tabela por baixo indica, Ventura destaca-se em todas as redes sociais, mas é no Facebook que a diferença é maior. Em sete dias e com 24 posts (houve outros a fazer mais) conseguiu 369,2 mil interações na sua página principal, e a sua página presidencial teve mais 15 mil - (384,2 mil no total). A sua publicação mais popular é uma foto do debate com Marisa Matias onde usa linguagem agressiva - "Foi uma boa coça na extrema-esquerda moralista [...] soube bem!!!!" - que em 20 horas teve dez mil reações, 1,6 mil comentários e 372 partilhas.

Ventura tem mais 300 mil interações do que o segundo, Tino de Rans, cujos posts mais populares não envolvem Ventura (são sobre a presença no programa Isto É Gozar com Quem Trabalha ou o debate com Marcelo). Segue-se Marisa Matias (81,2 mil) e João Ferreira (80,2 mil), ambos com os posts mais populares a serem sobre Ventura, e Tiago Mayan (onde se destacam posts com críticas a acusações de Costa, um meme com Marcelo e outro com Ventura e Pedro Nuno Santos sobre a TAP). Marcelo e Ana Gomes são quem tem menos interação no Facebook - e não há posts com Ventura em destaque.

O Twitter continua a ganhar preponderância em Portugal e foi dominado de forma clara nesta semana em interações negativas e positivas - foram 20 166 entre menções, respostas e retweets - pelo candidato do Chega, com a surpresa a ser Tiago Mayan (8 826), que surge em segundo, seguido de perto por Marisa Matias (8 464). Nesta tabela, além das visualizações recorde da candidata apoiada pelo BE que já referimos, Ventura ganha a todos no número de visualizações das partilhas aos seus tweets, com 2,76 milhões, seguindo-se Matias (2,05) e João Ferreira (1,84 milhões).

O Twitter foi mesmo a única plataforma onde foi possível recolher dados objetivos de visualizações/audiência dos posts. Já no Facebook foi possível ver tendências de visualizações nos vídeos, e o mais visto foi o de Tino de Rans no programa da SIC de Ricardo Araújo Pereira, com 146 mil visualizações (1020 partilhas), à frente do direto de André Ventura a reagir ao documentário da SIC sobre si - 92 mil e 1283 partilhas.

O Instagram, como já indicámos, foi liderado em interações por Marisa Matias, seguida de perto por Ventura e, mais atrás, por João Ferreira. Mas nas interações desde outubro Ventura tem mais do triplo de Matias - 231,2 mil. Nesta rede social nenhum dos candidatos se destaca em seguidores, exceto a conta de Marcelo, que tem 93 mil seguidores mas não é atualizada desde novembro.

Ventura na linha de Trump (e companhia)

José Moreno admite que as "redes sociais são cada vez mais relevantes para todos os políticos", mas aí destaca-se Ventura "com um discurso perfeito para estas plataformas, agressivo e repleto de soundbites que dão para memes ou para vídeos curtos, algo que também se vê noutros candidatos".

O investigador destaca que o fenómeno de Ventura nas redes sociais em Portugal já foi visto antes com Trump, Bolsonaro (aí mais no WhatsApp), Salvini (Itália) ou Marine LePen (França), "e mostra que o discurso considerado populista e que divide mais as pessoas tem grande tração", especialmente no Facebook, que dá mais destaque à interação - algo relacionado com o modelo de negócio de publicidade direcionada bem explicado no documentário da Netflix Dilema Social.

"Estes debates foram um alimento de redes sociais impressionante para quase todos os candidatos e Ventura é o que provoca reações mais animalescas", admite.

No entanto, deixa uma nota sobre como a literacia digital e a maior consciência dos utilizadores sobre o funcionamento dos algoritmos e da internet "é um dos caminhos para que as pessoas não se deixem cair nessas armadilhas e saibam por lá andar de forma menos inflamada".

O tema "é complexo e a solução envolve também os avanços de inteligência artificial e ajustes nos modelos de negócio das plataformas". Moreno destaca ainda o Twitter, onde se viu nesta semana o aumento de interações graças aos comentários dos utilizadores aos debates em tempo real e indica que os números destes políticos são reais: "Há poucos bots/contas falsas em Portugal."

Anúncios, mas poucos: Matias é quem paga mais

Os anúncios políticos no Facebook também foram marginais - pelo menos a partir destas contas oficiais (só houve gastos em três). Marisa Matias gastou já 1121 euros e é a única com anúncios ativos, João Ferreira gastou recentemente 745 euros e André Ventura gastou 109 euros em novembro.

CURIOSIDADES

Antiguidade nas "redes"

Marisa Matias é a candidata que tem as suas contas há mais tempo (Facebook desde 2011 e Twitter desde 2012) e Tiago Mayan é o que tem há menos tempo (está no Facebook e no Twitter desde julho de 2020).

Vídeos populares no Facebook

Tino de Rans tem o vídeo mais popular nas contas dos candidatos no Facebook - presença no Isto É Brinca Com Quem Trabalho, da SIC, visto 146 mil vezes - e André Ventura é o segundo (como está em cima).

Já Marisa Matias tem como vídeo mais popular alguns segundos do debate com Ventura - com 21 mil visualizações (153 partilhas) -, segue-se Ana Gomes com parte do debate com Marisa Matias a ter 12600 visualizações e João Ferreira numa mensagem em vídeo do Dia da Paz, 1 de janeiro, com 8500 (320 partilhas). Tiago Mayan, com alguns minutos do debate com Marcelo, conseguiu o vídeo mais popular com mais de 8 mil visualizações (70 partilhas) - a conta do presidente não colocou vídeos.

Quem gere as contas?

A conta de Ana Gomes é gerida por 10 pessoas em Portugal e a de André Ventura é gerida por seis pessoas em Portugal e duas na Noruega. Marisa Matias por quatro em Portugal e três na Bélgica e João Ferreira por sete em Portugal, o mesmo número de Tiago Mayan. A conta de Tino de Rans é gerida por quatro pessoas em Portugal.

NOTA: No caso de André Ventura, a página para as presidenciais (criada em fevereiro de 2020) tem 8 mil seguidores e bastante interação mas não foi a principal considerada para a tabela. Já João Ferreira tem na sua página para as eleições de 2021 mais seguidores e interação e foi essa selecionada na tabela (a sua página pessoal só tem 10 mil e ficou estagnada nos últimos tempos). Ana Gomes embora tenha 29,9 mil pessoas na sua página normal e só 10,7 mil na página para as eleições escolheu só fazer posts nesta altura nesta última. Página de Marcelo é gerida por apoiantes próximos do presidente. Vitorino Silva tem página das eleições criada em setembro, mas com menos de mil seguidores e pouca atividade, daí termos escolhido a página dita oficial "Tino de Rans" - a página "Vitorino Silva - RIR" tem 19 mil seguidores mas não é oficial e tem menos interações.

joao.tome@dinheirovivo.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG