Rangel faz queixa de Alegre a Schulz e Maria de Belém

Rangel enviou cartas a presidente do PS, ao líder dos deputados socialistas europeus e ao candidato à presidência da Comissão Europeia a pedir que rejeitem de forma "veemente" declarações de Manuel Alegre

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS, Paulo Rangel, enviou uma carta à presidente do PS, Maria de Belém Roseira, e ao candidato dos socialistas à presidência da Comissão Europeia, Martín Schulz, queixando-se das afirmações de Manuel Alegre, que comparou as suas declarações sobre o "vírus socialista" às utilizadas pelo regime nazi nos anos 30 e 40.

Para Rangel, as declarações de Manuel Alegre foram "uma das acusações mais vis que alguma vez vi numa campanha eleitoral." O social-democrata afirmou que "quem precisa de chamar os adversários de salazaristas e comparar a nossa campanha ao Holocausto é porque está numa situação de profundo desespero".

A carta - também enviada, ao presidente do grupo parlamentar dos socialistas europeus, Hannes Swoboda - solicita que estas personalidades do universo socialista rejeitem de forma "veemente tais observações", pois não são apropriados a um "debate sereno próprio de uma campanha eleitoral numa sociedade democrática como é a União Europeia."

Na mesma missiva, a que os jornalistas tiveram acesso, Rangel queixa-se do facto de nem o cabeça de lista às Europeias, Francisco Assis, nem o líder do PS, António José Seguro, terem "repudiado" as declarações de Manuel Alegre.

Francisco Assis já reagiu à exigência de Paulo Rangel mas para dizer que considera que "Paulo Rangel, muito francamente, deve ter juízo, porque passou esta campanha eleitoral a desferir permanentes ataques, em termos absolutamente inadmissíveis, ao PS".

Mais Notícias