PSD diz que "episódio de ontem não dignifica os trabalhos parlamentares"

O líder parlamentar, Luís Montenegro, quer evitar o que classifica de "perturbação" para que "haja condições"

O líder parlamentar do PSD apelou hoje ao bom senso de todos, rejeitando modificações do regimento da Assembleia da República, após a comissão de Saúde ter sido interrompida na véspera por protestos de um doente com hepatite C.

"Creio que não serão necessárias alterações. O que é necessário é que todos tenhamos bom senso e equilíbrio para podermos ter toda a tranquilidade no desenvolvimento dos trabalhos parlamentares. A Presidente da Assembleia da República, os grupos parlamentares, os presidentes das comissões devem colaborar no sentido de garantir que haja condições", disse Luís Montenegro, nos passos perdidos do parlamento.

Na quarta-feira, durante a audição do ministro da Saúde, Paulo Macedo, um doente com hepatite C interrompeu a sessão com gritos, reclamando contra o longo prazo de espera para aceder a um medicamento.

"O episódio que aconteceu não dignifica os trabalhos parlamentares e é uma perturbação que deve ser evitada no futuro, independentemente de todo o respeito que nos merecem os nossos concidadãos, em particular aqueles que vivem nas suas vidas dramas e tragédias como aquelas das pessoas que assistiram ontem (quarta-feira) aos trabalhos da comissão", afirmou o deputado social-democrata.

Já ontem, logo após o incidente, o deputado do PSD Miguel Santos pediu que doentes com hepatite C ou os filhos saíssem da sala, proposta que foi recusada pelos restantes partidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG