PSD: Declarações "perfeitamente enquadradas" com política do Governo

O vice-presidente do grupo parlamentar do PSD Luís Menezes considerou hoje que as declarações do antigo ministro das Finanças Eduardo Catroga estão "perfeitamente enquadradas dentro daquilo que tem sido a política do Governo até agora".

Eduardo Catroga disse hoje, em entrevista à TSF e ao DN/Dinheiro Vivo, que o Governo cometeu um "erro político enorme" ao não explicar aos portugueses a verdadeira situação económica do país, que agora se depara com novas medidas de austeridade, realçando, todavia, que o "pecado original de todo este processo começa por ser técnico", já que "em 2010 e 2011 a base de partida real do défice público devia ser 11% ou 12% do Produto Interno Bruto (PIB)".

"Relativamente às declarações do Dr. Eduardo Catroga, até penso que estão perfeitamente enquadradas dentro daquilo que tem sido a política do Governo até agora", considerou Luís Menezes em conferência de imprensa, no Porto, quando questionado sobre as declarações de Eduardo Catroga.

Na opinião do social-democrata as declarações de Eduardo Catroga "têm duas vertentes muito importantes".

"A primeira é dizer que quando foi implementado o memorando de entendimento devíamos ter partido de uma base real, ou seja, de um défice, à altura, em termos reais, seria de 11 ou 12 por cento. E como tal, o ajustamento que temos que fazer hoje em dia é muito superior aquilo que estava inicialmente previsto", sublinhou.

Na opinião do deputado do PSD "relativamente à Caixa Geral de Depósitos aquilo que disse foi aquilo que tem sido dito várias vezes, quer por membros do Governo quer por membros da coligação".

"O que devemos querer saber é para que queremos ter um banco público e o que o Dr. Eduardo Catroga disse é que as funções da Caixa deviam ser funções viradas para o apoio à economia, às empresas, às exportações. Infelizmente hoje em dia a Caixa não é nada disso, é mais um banco a funcionar em sistema concorrencial", acrescentou.

Questionado sobre as declarações do líder do CDS/PP-Madeira, José Manuel Rodrigues, que disse hoje esperar que até ao próximo Orçamento do Estado seja possível alterar algumas das medidas anunciadas pelo ministro das Finanças, Luís Menezes disse que "o Governo é constituído por dois partidos que estão acima de tudo, e independentemente dos comentários laterais de uma ou de outra pessoa, concentrados em retirar Portugal da situação muito complicada em que ficou depois de perder a sua soberania financeira".

"E nisso os dois partidos estão completamente focados e completamente concentrados", concretizou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG