PSD. Apoio a Isaltino será anunciado dentro de dias

Rui Rio adiou o anúncio do apoio à candidatura independente em Oeiras porque gera polémica dentro do próprio partido.

O PSD deverá anunciar o apoio à candidatura de Isaltino Morais à Câmara de Oeiras na próxima semana, apurou o DN. Depois de ter fechado quase todo o processo autárquico, o partido de Rui Rio deverá anunciar que se associa ao movimento independente Isaltino Inovar Oeiras de Volta liderado pelo ex-militante social-democrata, mas através de comunicado, porque esse apoio é polémico dentro do partido e dividiu a própria direção laranja.

Rui Rio já tinha decidido que este era o caminho do PSD em Oeiras, mas adiou a o anúncio para dissipar as críticas internas a esta opção. Isto porque o apoio do PSD a mais uma recandidatura independente de Isaltino ter sido objeto de forte contestação por parte de dois vice-presidentes do partido, David Justino e Isabel Meirelles (que em 2017 foi a candidata do partido a Oeiras, não obtendo mais do que 8,77 por cento).

Mas já no início do mês, fonte do PSD garantia ao DN que a equipa de Isaltino Morais estava a negociar com as estruturas locais do PSD os lugares nas listas, com o presidente da distrital de Lisboa do PSD e com o líder da concelhia de Oeiras do partido.

A direção nacional estava consciente do facto e sabe que localmente o partido alinharia todo ou quase todo com Isaltino mesmo que o PSD apresentasse uma candidatura própria, como fez em 2017. E se isso acontecesse, a direção nacional teria depois de iniciar um processo de expulsão de todos os militantes oeirenses que, apoiando Isaltino, se opusessem à candidatura oficial do partido.

Inicialmente, o plano diferente. Isaltino Morais foi desafiado a avançar com as cores do PSD, mas o autarca rejeitou a ideia. Em entrevista ao Público, explicou que não o podia fazer por entender que a sua candidatura tinha um caráter "transversal" e que "seria redutor" resumi-la a um único um partido.

"Da minha parte todos os apoios são bem-vindos, especialmente o do PSD. Mas, como sabem, a minha candidatura é muito transversal. Acho que todos sabem isso. O eleitorado que tem votado no meu movimento, vai desde a esquerda à direita. Sei que há pessoas de todos os partidos políticos que votam na minha candidatura", disse na altura.

O que não impediu o autarca de dar sinais públicos de aproximação à liderança do PSD. Na entrevista que deu ao DN, Isaltino teceu rasgados elogios a Rui Rio, que disse acreditar que chegará a "primeiro-ministro".

Isaltino Morais, de 71 anos, foi eleito presidente da Câmara de Oeiras cinco vezes pelo PSD - 1985, 1989, 1993, 1997 e 2001 - e três pelo movimento de independentes que criou - 2005, 2009 e 2017.

Em 2005, já arguido em processos de corrupção passiva, fraude fiscal e branqueamento de capitais (só veio a cumprir pena de dois anos pelos dois últimos crimes), Isaltino Morais viu a sua candidatura à Câmara rejeitada pelo então líder do PSD Marques Mendes, que fez o mesmo relativamente à de Valentim Loureiro em Gondomar, porque também era arguido num processo judicial.

Em 2002 Isaltino chegou a ser ministro (Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente) mas só por escassos meses, até surgirem na imprensa notícias de que era suspeito de corrupção. De 2013 a 2014, durante 426 dias, esteve preso, na Carregueira (arredores de Lisboa). Em 2017, agora como candidato independente, voltaria a candidatar-se à câmara de Oeiras, vencendo, como sempre aconteceu desde 1985.

O apoio que o PSD agora dará ao candidato independente Isaltino Morais é mal quisto internamente por alguns setores do partido, mas também se presta a polémica externa.

paulasa@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG