PS está disponível para dialogar com todas as instituições europeias e nacionais

O secretário-geral do PS afirmou hoje que está disponível para dialogar com todas as instituições europeias e nacionais e interrogou-se se o Presidente da República teve conhecimento da carta que o primeiro-ministro enviou à 'troika'.

António José Seguro falava na sede nacional do PS, na parte inicial de um encontro com algumas dezenas de jovens, durante uma fase em que respondia a questões dos jornalistas. Interrogado se nos próximos dias tem previsto algum encontro com a 'troika' (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia), António José Seguro disse que, até ao momento, "ainda não foi recebido qualquer pedido de encontro".

Depois, António José Seguro salientou a abertura do PS para o diálogo institucional. "Se houver um pedido de encontro, naturalmente que o PS estará disponível para dialogar com todas as instituições europeias e com todas as instituições do país", frisou.

Confrontando com o teor das propostas feitas pelo primeiro-ministro na carta que enviou à 'troika', na sequência do chumbo pelo Tribunal Constitucional de quatro normas do Orçamento do Estado para 2013, o líder socialista reiterou que desconhece o conteúdo da carta.

"Repito que não tenho conhecimento das propostas que o Governo apresentou à 'troika' e, naturalmente, acho isso muito estranho. E acho isso muito estranho sobretudo quando há tantos apelos, pelo menos retóricos, em relação à cooperação, ao compromisso, unidade e diálogo", apontou o secretário-geral do PS, que ainda deixou uma dúvida.

"Também se questiona se o senhor Presidente da República teve conhecimento dessa carta. O senhor Presidente da República também tem feito apelos ao diálogo", observou António José Seguro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG