PS contesta nomeação de José Luís Arnaut para REN

O PS contestou hoje a nomeação de José Luís Arnaut para o cargo de membro não executivo do conselho de administração da REN -- Redes Energéticas Nacionais e exige ao Governo que explique no Parlamento o processo de privatização da empresa.

"Já entregámos o pedido de apreciação parlamentar para discutir no Parlamento com o Governo este processo de privatização da REN que, no nosso entender, é o extremo de uma ilegalidade formal e de uma ilegalidade material", disse à agência Lusa o deputado socialista José Junqueiro.

O PS acusa o Executivo de fomentar "um dos maiores exercícios de promiscuidade entre a política e os negócios, conformando a negociação em si uma ilegalidade".

"A privatização da REN, tal como da EDP, funciona como uma espécie de espólio que o Governo distribui para personalidades ou dirigentes topo de gama do PSD e do CDS. Depois de Eduardo Catroga ou de Celeste Cardona, vem agora José Luís Arnaut, sobretudo na sua qualidade de administrador da REN e simultaneamente presidente da comissão de auditoria financeira do PSD", comentou José Junqueiro.

O PS contesta igualmente a nomeação de Miguel Moreira da Silva, do CDS, que irá ocupar um lugar de direção na REN.

"Miguel Moreira da Silva que sai do Governo, que acompanha esta privatização, e sendo ele irmão do próprio vice do PSD, Jorge Moreira da Silva, vem ocupar um lugar de direção e isto não é nenhuma coincidência", condenou o deputado socialista.

Numa altura em que "as pessoas já atingiram o limite dos sacrifícios", José Junqueiro insiste que "há uma casta no país que pertence ao Governo e que é formada por estas personalidades topo de gama para quem nada existe e para as quais tudo é permitido".

A REN anunciou na sexta-feira a nomeação de José Luís Arnaut para o cargo de membro não executivo do conselho de administração, na sequência da renúncia apresentada pelo gestor Luís Palha da Silva.

"Na sequência da renúncia de Luís Palha da Silva ao cargo de administrador, o conselho de administração da REN deliberou, na presente data, cooptar José Luís Arnaut para o exercício do cargo de membro não executivo do órgão social em causa para o mandato do triénio em curso, 2012-2014", lê-se no comunicado que a REN enviou hoje à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A 29 maio, o ex-presidente executivo da Jerónimo Martins, Luís Palha da Silva, renunciou ao exercício do cargo de vogal do conselho de administração da REN.

Luís Palha da Silva, que foi nomeado administrador na assembleia-geral de acionistas de 27 de março, declarou então que pretendia aceitar o respetivo cargo, após a conclusão da segunda fase de reprivatização da REN, mas acabou por renunciar "definitivamente ao exercício do cargo de vogal do conselho de administração".

O Diário Económico noticiou, no início de maio, que Palha da Silva terá sido sondado por Américo Amorim, que lidera a Amorim Energia, para integrar a administração executiva da Galp.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG