Presidente do Instituto de Registos e Notariado exonerado

António Figueiredo tinha pedido suspensão de funções aquando da detenção no âmbito da investigação à atribuição de vistos gold. Maria Antónia Anes e Manuel Jarmela Palos também foram exonerados.

A ministra da Justiça exonerou o presidente do Instituto de Registos e Notariado, António Figueiredo, e a secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, ambos em prisão preventiva no âmbito da Operação Labirinto, que investiga a atribuição de vistos "gold".

Segundo fonte do Ministério da Justiça, os despachos de Paula Teixeira da Cruz já foram enviados para publicação em Diário da República.

Os dois integraram o grupo de 11 detidos no âmbito da Operação Labirinto, relacionada com suspeitos de corrupção na atribuição de vistos gold.

António Figueiredo ficou em prisão preventiva depois de ouvido no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, na terça-feira.

A mesma medida de coação foi aplicada à secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, mas com possibilidade de vir a ser substituída por pulseira eletrónica.

António Figueiredo havia pedido a suspensão de funções aquando da detenção; Maria Antónia Anes pedira a demissão. Agora, ambos foram agora exonerados.

O diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Manuel Jarmela Palos, pediu a demissão no dia em que o Tribunal lhe aplicou prisão preventiva, também com possibilidade de conversão em pulseira eletrónica. Hoje, a nova ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, exonerou-o.

Na sequência deste caso, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, demitiu-se no domingo passado, tendo sido substituído ontem por Anabela Rodrigues.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG