Portugal formou mais de 32 mil militares de países lusófonos

O programa de cooperação técnico-militar (CTM) com os países africanos lusófonos e Timor-Leste já permitiu formar mais de 32 000 militares desses Estados, informou esta quarta-feira o secretário de Estado da Defesa.

Paulo Braga Lino, que falava perante a Comissão parlamentar de Defesa, adiantou que nos últimos 20 anos foram ainda formados em Portugal mais de 6000 militares desses países lusófonos.

Em termos financeiros, o Ministério da Defesa afetou cerca de 85 milhões de euros a esses projetos nas últimas duas décadas, do qual se pretende agora obter "um maior retorno do investimento, em especial na área das Indústrias de Defesa", dado que "há perspetivas positivas" nesse domínio.

Paulo Braga Lino, que se escusou a adiantar pormenores sobre essa matéria, realçou a importância que a CTM tem tido na promoção do uso da língua portuguesa - de que é exemplo a Escola Superior de Guerra em Angola, que recebe alunos de outros países africanos e onde todas as aulas são dadas em Português.

Globalmente, Portugal disponibilizou no orçamento de Estado para este ano 6,1 milhões de euros para a CTM, ao abrigo da qual há 75 assessores militares a residir nos países beneficiários desses projetos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG